Consumidores duvidam da segurança de dados nas redes sociais, diz estudo

A maioria dos consumidores está disposta a abandonar as empresas que sofreram violação de dados, com os varejistas no topo desta lista, segundo pesquisa da multinacional de segurança digital Gemalto.
É improvável que dois terços resolvam fazer compras ou negócios com uma empresa que sofreu uma violação que tenha exposto suas informações financeiras e confidenciais. Os sites de varejistas (62%), bancos (59%) e de redes sociais (58%) são os que mais correm risco de perder clientes, de acordo com o levantamento.
Ao entrevistar 10.500 consumidores no mundo inteiro, a Gemalto descobriu que, independentemente da idade, 93% culpam as empresas por violações de dados e pensam em agir contra eles. As redes sociais são as que mais preocupam os consumidores: dos entrevistados 61% disseram crer que essas empresas não oferecem proteção adequada aos dados do consumidor. Sites de bancos, com 40% das menções, aparecem em segundo lugar.
Apesar de os consumidores colocarem a responsabilidade nas mãos das empresas, apenas 25% acham que elas estão de fato preocupadas com a proteção e a segurança dos dados dos clientes. Ao assumir o controle da situação, os consumidores não permitem que as empresas se escondam, já que a maioria dos entrevistados forneceu a estas empresas informações sobre os métodos de segurança que estão oferecendo (35%), que já consideraram (19%) ou podem considerar no futuro (33%).
“As empresas não têm escolha, a não ser melhorar a segurança de seus sites, já que os clientes não acreditam que o ônus de mudar seus hábitos de segurança deve recair sobre eles”, disse, em comunicado, Jason Hart, diretor de tecnologia de proteção de dados da Gemalto.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta