Associações de Papais Noéis? Sim, elas existem – inclusive no Brasil

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Se você acredita que vida de Papai Noel é solitária, saiba que os profissionais que todo fim de ano encarnam o personagem têm cada vez mais unido forças em associações e entidades do gênero – inclusive no Brasil. É o caminho para avançar na capacitação e negociar cachês melhores.
Belo Horizonte é uma das cidades em que os Noéis estão unidos. Lá, 17 deles estão vinculados à Associação de Papais Noéis (Aspanoéis), segundo registra o jornal O Tempo. Marcos Henrique Gomes, presidente da entidade, dá uma dica de ouro aos novatos: a barba tem que ser natural para se conseguir bons trabalhos. “Muitas crianças puxam a barba e, quando ela é falsa, acaba saindo”, alerta ele.
Nos Estados Unidos, a recomendação de Gomes vem no próprio nome de algumas associações do gênero. É o caso, por exemplo, da Irmandade Internacional dos Papais Noéis com Barba de Verdade (IBRBS, na sigla em inglês) e da Ordem Fraterna dos Papais Noéis com Barbas Reais (FORBS, na sigla em inglês), grupo que milita na ensolarada Califórnia. O site Associations Now registra ainda a existência da Sociedade do Papai Noel da Nova Inglaterra (NESS, na sigla em inglês).
Com mais tradição na criação de entidades do gênero, os Papais Noéis americanos têm colhido mais frutos da união de forças que seus colegas brasileiros. Lá, as associações conseguem, por valores bastante baixos, checagem de antecedentes criminais, uma exigência comum dos contratantes. As associações também oferecem apólices de seguro com cobertura de até US$ 2 milhões para qualquer eventualidade ocorrida no período em que o associado estiver usando a roupa vermelha. A IBRBS vai além e oferece ainda bolsas de estudos para os integrantes da entidade e seus filhos.
O associativismo dos Papais Noéis pode não ser tão comum aqui quanto é nos EUA, mas isso não significa que os nossos Noéis não estejam correndo atrás de um upgrade na carreira. Para citar um exemplo, no início de dezembro, o Sindicato dos Comerciários de São Paulo organizou um workshop para capacitar os Bons Velhinhos que estavam prestes a entrar em ação no Natal de 2018, como informa o site da União Geral dos Trabalhadores (UGT). O curso, gratuito, teve 30 participantes – inclusive candidatas a Noeletes.
Os cachês, claro, variam muito e dependem do poder de fogo do contratante. Para um Papai Noel, 45 dias de trabalho podem render de R$ 3 mil a R$ 15 mil em shoppings de São Paulo. Em hipermercados, aparições de dez dias rendem, em média, R$ 1,2 mil. Aparições pontuais, para eventos únicos, podem render R$ 1 mil por hora de trabalho, mas os cachês chegam a R$ 2 mil em eventos mais próximos do Natal, quando a procura cresce.
A lei da oferta e demanda é soberana – inclusive no mundo dos Papais Noéis.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta