Os três pilares que vão guiar a nova diretoria da Associação Brasileira de Enologia

O enólogo e empresário Daniel Salvador, proprietário da Vinícola Salvatore, de Flores da Cunha (RS), assumiu neste início de ano a presidência da Associação Brasileira de Enologia (ABE), entidade que já tem 42 anos de existência. Salvador havia sido eleito em dezembro por unanimidade.
Segundo ele, a nova diretoria, que terá mandato de dois anos, vai trabalhar orientada por três pilares principais: atualização, experiências e parcerias. “Temos um plano focado no desenvolvimento de ações dirigidas aos associados e ao setor vitivinícola, mas estamos abertos a seguir inovando”, disse o novo presidente, em comunicado.
Atualização, experiências e parcerias fazem parte de um trabalho que a ABE desenvolve desde 1995: a associação coordena o esforço conjunto de inscrição de vinhos e espumantes brasileiros em concursos internacionais, uma iniciativa que está diretamente ligado ao aumento do prestígio da produção nacional das bebidas. Desde que a entidade assumiu essa coordenação, o Brasil já recebeu quase 4 mil prêmios no exterior.
Em 2018, o país conquistou 302 medalhas em 26 concursos internacionais, realizados em 13 países. O número, 80% maior que as 168 distinções do ano anterior, só ficou atrás do registrado em 2014, quando os vinhos e espumantes nacionais receberam 388 medalhas, e das 338 conquistas de 2016.
Daniel Salvador é pós-graduado em Enologia pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) e em Gestão Empresarial pela UCS e Fundação Getulio Vargas, além de sommelier. A diretoria agora encabeçada por ele levará os vinhos e espumantes brasileiros a 20 concursos ao longo de 2019.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta