Novo estudo mostra a diferença do networking entre homens e mulheres

Criar uma boa rede de contatos, ou network, é um elemento essencial da construção de carreira em muitas profissões, incluindo a gestão de associações e entidades de classe. Mas, como aponta um novo estudo, o networking funciona de maneiras diferentes para homens e mulheres.
Em um levantamento recente publicado pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences, pesquisadores da Notre Dame University e da Northwestern University, nos Estados Unidos, descobriram que grandes redes de contato são essenciais para os homens que buscam chegar a um papel de liderança, enquanto as mulheres muitas vezes dependem de círculos mais restritos, dominados por outras mulheres.
O estudo, baseado em uma análise de 700 ex-alunos de pós-graduação de importantes escolas de administração americanas, descobriu que mais de três quartos das mulheres em cargos de alto nível tinham redes de contatos restritas, em grande parte formadas por outras mulheres. As profissionais com esse tipo contato tinham duas vezes e meia mais chances de ter uma posição de liderança de alto escalão, segundo registro do site Associations Now.
Enquanto isso, os homens estudados tendiam a ascender na carreira quando possuíam um networking ​​em que eles estavam no centro. A conclusão similar mesmo quando fatores como notas e experiência de trabalho eram levados em conta.
“Embora ambos os sexos se beneficiem do desenvolvimento de grandes redes de contatos depois da pós-graduação, os padrões de comunicação das mulheres, além da composição de gênero de sua rede, preveem significativamente seu nível de emprego”, disse, em comunicado, Nitesh V. Chawla, professor de ciências da computação da Notre Dame.
Os círculos mais próximos das mulheres muitas vezes ajudaram as formadas a descobrir importantes informações internas sobre papéis de liderança, disse Brian Uzzi, da Northwestern, outro dos autores, em um artigo para a Harvard Business Review.
“Nosso estudo sugere que as mulheres enfrentam um desafio maior em trabalhar em rede para encontrar oportunidades profissionais. Elas, mais do que os homens, precisam manter redes amplas e círculos informativos internos para conseguir as melhores posições”, escreveu ele. “A boa notícia é que, adotando uma abordagem inteligente, as mulheres podem continuar a encontrar opções de avanço significativas, ao mesmo tempo em que ajudam seus pares e colegas menos experientes a fazer o mesmo.”

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta