Reciclagem: como uma boa causa pode unir associações de diferentes setores

Uma iniciativa para aumentar a reciclagem de plástico e outros materiais nos Estados Unidos tem aproximado associações da indústria de diferentes segmentos. O trabalho mostra como entidades de classe de áreas diversas, que nem sempre estão unidas, podem trabalhar juntas quando a causa é o bem comum.
Entidades como a Plastics Industry Association e a American Chemistry Council, além de uniões de indústrias de embalagens de vidro e de gestão de resíduos, lançaram uma campanha em Washington para conseguir US$ 500 milhões em recursos federais para reforçar os sistemas de reciclagem do país. A iniciativa tem entre seus argumentos a decisão da China de interromper a importação de sucata, como registra o site Plastic News.
Não se trata apenas de dinheiro. A coalizão quer mudar o pensamento de Washington sobre a reciclagem. O que as entidades pretendem é convencer o governo de que os sistemas locais de coleta de lixo são um tipo de infraestrutura tão vital quanto rodovias ou aeroportos, que recebem recursos federais.
A proposta do setor surge no momento em que tanto o governo do presidente Donald Trump quanto o Congresso sinalizam apoio a um grande programa de infraestrutura federal. Essa abertura é vista como o caminho para fazer andar o plano das entidades.
Grande parte da infraestrutura de coleta de lixo das cidades tem várias décadas e enfrenta desafios para os quais não foi projetada, diz Scott DeFife, vice-presidente de assuntos governamentais da Associação da Indústria de Plásticos. Segundo ele, com a decisão da China e outros países asiáticos de proibir a importação de sucata, os governos municipais tiveram que reduzir os materiais plásticos que aceitam para reciclagem. Além do mais, a crescente preocupação da população com o destino dado ao plástico tem aumentado a pressão sobre a indústria, que precisa ajudar a construir alternativas.
“Acreditamos que o país precisa se atualizar em relação à reciclagem”, disse DeFife ao Plastic News. “Seria bom receber um novo empurrão. Para nós, esse esforço [conjunto das entidades] é um estímulo à reciclagem.”
A ideia da coalizão é conseguir US$ 500 milhões para serem usados em cinco anos. “A principal questão é fazer com que o governo federal pense em reciclagem e gestão de resíduos como uma utilidade pública que deve merecer apoio no contexto de infraestrutura, sendo tão vital quanto água potável e eletricidade”, afirmou o dirigente.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta