Fenaj: Federação dos Jornalistas faz vaquinha virtual para evitar leilão de sua sede

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) deu início a uma vaquinha virtual para evitar que sua sede, em Brasília, seja leiloada. A dívida, de R$ 400 mil, refere-se ao não-pagamento do Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) de outro imóvel que, segundo a Fenaj, foi cedido à federação na década de 1980, mas “nunca utilizado”.
A campanha começou na última quinta-feira e vai se estender até o dia 30 de junho. Na iniciativa, a entidade pede uma contribuição de R$ 10, em uma ação que pretende abranger também os profissionais não-sindicalizados. A Fenaj calcula que existam hoje cerca de 150 mil jornalistas no Brasil.
LEIA TAMBÉM:
Como os sindicatos têm se adaptado ao fim da contribuição sindical obrigatória
Presidida pela goiana Maria José Braga, a Federação admite que enfrenta sérias dificuldades financeiras. Para a entidade, a reforma trabalhista – que ela chama de contrarreforma – está no centro desses problemas, já que acabou com a cobrança do Imposto Sindical – principal receita não só da Fenaj, mas de todos os sindicatos do país. A entidade também ataca a MP 873, que veda a cobrança da contribuição sindical diretamente na folha do trabalhador.
“No atual cenário de desmonte de direitos trabalhistas e ataques ao jornalismo, fortalecer a organização sindical dos jornalistas é mais importante do que nunca. Para não fechar as portas de sua sede em Brasília, a entidade está buscando apoio junto à categoria e à sociedade”, diz a presidente, em comunicado.
Idealizada como representante dos jornalistas do país, a Fenaj foi fundada em 1946. Ela conta hoje com mais de 40 mil jornalistas associados aos seus 27 sindicatos estaduais e quatro municipais.
Clique aqui para saber mais sobre a iniciativa.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta