Abimip faz 25 anos e elege nova diretoria; Rodolfo Hrosz presidirá a entidade

Rodolfo Hrosz, presidente da Abimip (Foto: Karime Xavier/Folhapress)

No ano em que completa 25 anos de fundação, a Associação Brasileira da Indústria de Medicamentos Isentos de Prescrição (Abimip) passa a ser comandada por uma nova diretoria. O grupo que assumiu neste mês os destinos da entidade é encabeçado Rodolfo Hrosz, diretor-geral da divisão de consumo da Sanofi.
O novo presidente, que já havia atuado em diretorias anteriores da Associação, tem mais de 20 anos de experiência em liderança nos segmentos de consumo, como bebidas, higiene pessoal, alimentos industrializados e luxo, além do de medicamentos isentos de prescrição. Em sua trajetória profissional, teve passagens por empresas como Procter & Gamble, Ferrero, LVMH, Heineken e Pfizer. Hrosz é formado em Engenharia Naval pela Universidade de São Paulo, tem especialização em Finanças e Contabilidade pela Universidade de Columbia, em Nova York, e MBA pela Universidade de Pittsburgh, ambas nos Estados Unidos.
LEIA TAMBÉM:
Por que, afinal, empresas e profissionais decidem aderir às suas associações?
Doze erros que podem custar a vida de sua entidade de classe
Associações têm dificuldade em ampliar diversidade de seus conteúdos, diz estudo
A Abimip foi criada formalmente em 1994, mas sua gênese data de oito anos antes, a partir da união de três fabricantes – Roche, Merrell Lepetit e De Angeli – para participar do debate político instaurado pela Assembleia Nacional Constituinte. Na ocasião, a pauta dos parlamentares incluía a ideia de proibir a publicidade de medicamentos.
Depois de algumas mudanças de nome – a entidade nasceu como Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Saúde (Abips) e, entre 2002 e 2003, foi conhecida como Associação Brasileira da Indústria de Automedicação Responsável (Abiar) – a Abimip assumiu a identidade atual em 2003. Juntos, seus 20 associados representam cerca de 85% do mercado brasileiro de medicamentos isentos de prescrição (MIPs).
Com mais de 1,25 bilhão de unidades comercializadas e faturamento de R$ 14,2 bilhões em 2018, os MIPs já respondem por 31% do mercado farmacêutico brasileiro, de acordo com dados da IQVIA, empresa especializada em informações sobre a indústria farmacêutica. Os medicamentos mais vendidos dessa categoria são para tratamentos de dor, febre, gripes, resfriados e problemas gastrointestinais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta