Como a 'ABNT dos EUA' está ajudando a desenvolver os exoesqueletos do futuro

Criada em 1898 por um grupo de engenheiros e cientistas que queriam analisar as frequentes quebras dos trilhos de trem nos Estados Unidos, a ASTM International mostra com uma iniciativa recente que uma entidade longeva como ela não está automaticamente ultrapassada. Ao contrário: com sua experiência de mais de um século de existência, a associação americana, que tem um trabalho equivalente ao da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), está ajudando a construir o futuro de um segmento de ponta da pesquisa científica: o dos exoesqueletos.
A ASTM anunciou sua adesão aos esforços para estabelecer padrões globais para essas máquinas, que são equipamentos que uma pessoa “veste” para aumentar sua capacidade motora. Isso inclui, por exemplo, levantar objetos pesados ​​que seriam impossíveis para um indivíduo erguer sozinho. Essa tecnologia é inovadora e potencialmente revolucionária em áreas como construção civil, medicina e indústria manufatureira, mas a falta de padrões abrangentes tem muitas vezes limitado seu avanço.
LEIA TAMBÉM:
– Como uma entidade nos EUA lidou com o envelhecimento da base de associados
– Como uma associação americana vai ajudar ex-detentos a encontrar trabalho
– Nos EUA, entidade científica decide boicotar conferências “só para homens”
Desde 2017, a ASTM International conta com um comitê de normatização de exoesqueletos. A decisão de criar um grupo de trabalho dedicado ao tema ganhou um reforço neste ano, quando a entidade revelou que financiaria a criação de um centro de excelência para ajudar a desenvolver um conjunto de padrões oficiais para a eletrônica vestível.
Nos próximos cinco anos, a associação americana vai desembolsar US$ 1,25 milhão para apoiar o projeto, que pretende transformar o comitê em um importante centro de pesquisa, educação e treinamento. O centro tem o apoio de grandes empresas, como Boeing e BMW, além de uma série de startups.
“Agora é o momento certo para criar um centro de colaboração entre startups, empresas e outras entidades que estão explorando como o exoesqueletos poderia apoiar operários, pacientes, militares e muitas outras pessoas”, disse, em comunicado, Katharine Morgan, presidente da ASTM International. A entidade convidou interessados em apresentar uma proposta para a criação do centro de excelência. O anúncio do projeto vencedor será feito em setembro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta