Como é o plano da Unilever para reduzir drasticamente seu uso de plástico

Leia também

Dona de um portfólio impressionante de marcas – dos sabonetes e xampus Dove à maionese Hellmann’s, dos caldos Knorr ao sorvete Kibon -, a gigante de produtos de consumo Unilever usa 700 mil toneladas de plástico em suas embalagens todos os anos. Mas a empresa quer reduzir esse volume drasticamente: até 2025, ela pretende diminuir pela metade o uso de embalagens plásticas que não tenham passado por reciclagem.

Para atingir a meta, a Unilever atua em várias frentes. No início do ano, ela lançou um projeto-piloto que prevê, em breve, o início das vendas de pasta de dente que virá não em tubos, mas em tabletes mastigáveis. Em outro projeto-piloto, desenvolvido no Vietnã ao longo do último verão do hemisfério norte, a empresa testou a venda de uma marca de produtos de beleza e cuidados com a pele em estações de recarga, em vez de em potes descartáveis.

LEIA TAMBÉM:
Como é o programa ambiental da Natura premiado pela ONU
– 
O que o alerta de 230 fundos sobre a Amazônia diz às empresas
– 
Reciclagem chega a um símbolo do consumo: o cartão de crédito
– 
Por que as associações precisam começar a falar sobre o desmatamento no país

“Nós precisamos reduzir a quantidade de embalagens plásticas que usamos”, diz Matt Demorais, que lidera as ações da Unilever em embalagens sustentáveis. A empresa também planeja reduzir o uso de embalagens plásticas em termos absolutos em 100 mil toneladas, tornando-a a primeira grande empresa de produtos de consumo com uma meta tão ambiciosa.

Com o aumento da pressão por parte dos consumidores, muitas grandes empresas estabeleceram novas metas para mudar para embalagens recicláveis, reutilizáveis ​​ou compostáveis. Muitos também planejam aumentar a quantidade de materiais reciclados ou baseados em plantas que usam – um passo importante em parte porque o plástico, que geralmente é feito de combustíveis fósseis, também é uma fonte de emissões de gases de efeito estufa. Segundo estimativas, até o fim de 2019, fabricar e queimar plástico vai produzir tantos poluentes quanto 189 usinas a carvão.

A Unilever foi uma das poucas grandes empresas a participar do lançamento do Loop, um projeto-piloto que está testando a ideia de vender produtos do cotidiano como desodorante e sorvete em embalagens reutilizáveis. A empresa agora está estudando várias soluções para embalagens em diferentes áreas. Nas Filipinas, por exemplo, ela lançou um projeto-piloto em shopping centers de Manila que permite que os consumidores usem suas próprias embalagens para reabastecer xampu e condicionador de marcas como Dove e Tresemmé; a venda é feita por peso.

Na Europa, a empresa testou outro sistema de recarga, que usa sensores para encher garrafas automaticamente. No Reino Unido, uma marca de spray de limpeza agora é vendida com cartuchos de recarga que os consumidores levam para casa, colocam em uma garrafa existente e enchem de água.

Em paralelo, a empresa está trabalhando para ajudar a coletar mais resíduos de plástico e tem um novo objetivo de coletar e processar mais resíduos de plástico do que cria até 2025. Em regiões como o Sudeste Asiático, onde a crise de lixo plástico no oceano é mais aguda, isso pode passar também pela melhoria da infraestrutura local de reciclagem.

A empresa também está trabalhando para redesenhar as embalagens para serem mais recicláveis ​. As embalagens pretas muitas vezes não são “vistas” pelos equipamentos de reciclagem por infravermelho, por exemplo, mas a Unilever recentemente projetou um novo corante preto que pode ser legível.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes