Segurança da informação é a vaga mais difícil de preencher no Brasil

Nenhuma vaga é mais difícil de preencher nas empresas brasileiras do que a de analista de segurança da informação, segundo um levantamento feito pelo site de empregos Indeed. A pesquisa mostra ainda que, das dez funções para as quais as companhias têm maior dificuldade para encontrar profissionais, sete estão no setor de tecnologia.

O estudo foi feito com base nos dados do Indeed, que agrega vagas postadas em páginas de empresas e na do próprio Indeed, e também em outros sites de vagas de emprego (exceto os que cobram por acesso). A compilação considerou as oportunidades de emprego abertas por mais de 60 dias, de março a setembro deste ano.

LEIA TAMBÉM:
Apagão de mão de obra qualificada afeta tecnologia, bancos e manufatura no país
Google é, mais uma vez, a empresa dos sonhos dos universitários
A desmotivação dos trabalhadores brasileiros é alta. Por quê?

A demanda crescente por analista de segurança da informação ocorre em meio ao avanço do setor de segurança cibernética. Em 2018, as empresas perderam cerca de US$ 45 bilhões devido a ataques de hackers, o que explica o crescimento desse setor.

As descobertas da pesquisa atestam mais uma vez que a economia brasileira têm enfrentado dificuldade crescente para preencher postos que exigem maior qualificação. O país tem hoje mais de 12 milhões de desempregados, e ainda assim sobram vagas em alguns segmentos.

“O mercado de trabalho em tecnologia tem cada vez mais oportunidades, mas ainda tem os cargos mais difícil de preencher. Pode ser porque esse tipo de trabalho exige uma rara combinação de qualidades: habilidades técnicas avançadas, educação especializada e um alto nível de conhecimento e visão”, diz Felipe Calbucci, que comanda o Indeed no Brasil. “A maioria dos candidatos com essas qualificações acaba indo ao exterior em busca de carreiras internacionais.”

Depois de analista de segurança da informação, as vagas para arquitetos e webmasters têm sido as mais difíceis de serem preenchidas, de acordo com o levantamento. A seguir, as dez primeiras:

1 – Analista de segurança da informação
2 – Arquiteto
3 – Webmaster
4 – Analista de desenvolvimento
5 – Programador/desenvolvedor web
6 – Analista de banco de dados
7 – Analista de BI
8 – Analista de desenvolvimento de sistemas
9 – Assistente de recursos humanos
10 – Engenheiro

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta