As tendências tecnológicas para 2017

Internet das coisas? Computação em nuvem? Inteligência Artificial? Associações Hoje reuniu uma série de tendências para 2017 apontadas pelas maiores publicações internacionais especializadas no setor de tecnologia. Resumindo, a segurança cibernética continua a ser uma grande preocupação, apesar de a natureza dos riscos, com a Internet das Coisas, ter trazido novos desafios; e a Inteligência artificial vai estar presente em mais processos e atividades. Por fim, empresas e entidades vão precisar, cada vez mais, de soluções móveis abrangentes, incluindo a aceitação de pagamentos móveis. Veja abaixo um pouco mais de informações sobre essas tendências e saiba de que forma elas podem impactar, principalmente, os negócios de pequenas e médias empresas e associações.
– Segurança da Internet das Coisas
A segurança de Internet das Coisas, a chamada revolução tecnológica que permitiu conectar dispositivos eletrônicos utilizados no dia-a-dia, como aparelhos eletrodomésticos, eletroportáteis, máquinas industriais, meios de transporte  à internet, está no radar de todos e lidera a lista das tendências tecnológicas de 2017. À medida que as pequenas e médias empresas, assim como entidades e associações, trazem mais dispositivos conectados para seus escritórios e lojas (termostatos, câmeras de vigilância, telas, fechaduras e sistemas de alarme, sistemas de iluminação), as preocupações com a segurança crescerão. Pesquisa global com 593 profissionais de TI e de segurança apontou que dispositivos com acesso a internet são vistos como uma ameaça real. De acordo com esse levantamento, 58% dos entrevistados dizem estar preocupados com o fato de as organizações serem potencialmente vulnerável a ataques cibernéticos, mas 44% da mesma base disseram que não fazem nada para evitar tais riscos.
– Computação em Nuvem (Cloud Computing) passa a ser o padrão
Nos últimos cinco anos, a adoção da Computação em Nuvem pelas pequenas e médias empresas deu um enorme salto. Hoje, mais de 70% das organizações com até 100 funcionários adotam esta tecnologia, contra menos de 20% cinco anos atrás, aponta estudo do IDC, uma das maiores consultorias globais de TI. No caso daquelas com até 1000 empregados, esse número salta para mais de 90% globalmente. O que tem impulsionado essa mudança é, principalmente, o serviço de armazenamento em nuvem, incluindo back-ups, a presença cada vez maior de dispositivos móveis de propriedade dos funcionários e a adoção de e-mail móvel e aplicativos colaborativos. Hospedagem de e-mail, backup on-line, hospedagem de web e soluções de produtividade deverão ser os principais serviços em nuvem em 2017.
– Inteligência Artificial
Apesar das pequenas e médias empresas ainda serem menos propensas a adotar soluções de Inteligência Artificial em grande escala, importantes mudanças começam a mudar esse cenário: os “chatbots inteligentes”, softwares de interação online com os clientes. Esses robôs são, na verdade, capazes de criar conversas online com clientes nos já tradicionais aplicativos de mensagem, como Messenger e Whatsapp. Empresas e organizações de todos os portes já identificaram o poder dos “chatbots” para atendimento ao cliente e outros usos, como encontrar produtos, fornecer notificações de remessas, localizar locais de negócios e muito mais. Alguns analistas já apontam que 2017 será o ano do “chatbot” como a nova interface para negócios. Ou seja, é possível que sua próxima conversa por meio de um desses canais seja com um robô.
– Aplicativos de pagamento para celular
Os serviços de pagamento móvel estão se tornando cada vez mais comuns e amplamente compreendidos pelos consumidores e fornecedores de serviços ou produtos. E em 2017, essa tendência deverá ser ainda maior, com a disponibilização de novas tecnologias, como a possibilidade de acesso de forma segura a dados dos cartões de créditos por meio de aplicativos móveis que acessam a nuvem, sem a necessidade da presença física do próprio cartão, por exemplo. O volume de pagamentos por “proximidade móvel”, nome dado a esta tecnologia, triplicou globalmente desde 2013 e deverá chegar a US$ 92 bilhões até 2019.
– Ferramentas de colaboração
Embora o e-mail ainda seja uma forma dominante de comunicação no local de trabalho, o uso de ferramentas de colaboração como o Google Hangouts, o Slack e o Skype for Business estão claramente em ascensão. Atualmente, o Skype for Business é o aplicativo mais adotado, seguido do Google Hangouts e do Slack. Essas ferramentas serão especialmente úteis para pequenas e médias empresas, além de associações e entidades, com equipes remotas que precisam conversar, enviar documentos e colaborar em tempo real.
E a sua entidade, está preparada para os novos desafios tecnológicos? Comente!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta