FCDLESP divulga tendências de Páscoa 2017

A FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo) acaba de divulgar sua pesquisa de tendências de consumo para a Páscoa 2017. De acordo com a entidade, que representa mais de 150 mil lojistas no estado, 80% dos varejistas apontam que, havendo aumento de vendas, esse será de até 5%. O restante, 20%, acredita que é possível ficar entre 5% e 10%, porém, com tickets médios de compra abaixo do esperado – até R$ 30,00.
Para 50% dos entrevistados, o consumidor está cauteloso em relação ao valor investido para presentear nessa Páscoa. “Será uma data equilibrada em que não teremos grandes transformações no varejo. O ticket médio pesquisado nas principais CDLs do estado aponta até R$ 30,00”, afirma o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff. “A data está no início de uma semana marcada por mais dois feriados sequentes, além do Dia das Mães. Por um lado teremos vantagens para o turismo, por outro a despesa das famílias também será maior quando há viagens a vista”, completa.
Embora metade do comércio do estado aposte em um ticket baixo, outros 30% acreditam que ele possa se manter entre R$ 50,00 e R$ 70,00 e 20% entre R$30,00 e R$ 50,00.
A poucos dias da Páscoa, 40% dos produtos mais vendidos permanecem no tradicional como, ovos de páscoa, colombas pascoais e afins, 30% por chocolates em barra e caixas de bombons, além de 30% acreditar que outros presentes também podem ganhar destaque nas vendas do período: roupas infantis, ovos de páscoa artesanais e economia informal.
Hipermercados lideram a preferência de compra para a data, representando 60% da escolha na hora do consumidor realizar a compra, seguido por lojas específicas de chocolate (30%) e 10% para shoppings e brigadeirias. “Os supermercados lideram pela variedade de preços, marcas e tamanhos, além da facilidade de ter tudo em um único lugar. Para presentear toda a família, o local ganha mais evidência nas vendas”, explica Stainoff.
A pesquisa foi realizada pela FCDLESP com 90 CDLs (Câmaras de Dirigentes Lojistas) do estado de São Paulo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta