Obesidade caminha para epidemia com consequências graves para a saúde

Leia também

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde na última semana (17 de abril) alertam toda a população: obesidade atinge um em cada cinco brasileiros. O país, que antes lutava principalmente no combate à fome, registrou aumento de 60% no número de obesos nos últimos 10 anos, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016.
“Estes indicadores mostram que já nos deparamos com uma doença endêmica, que caminha para a epidemia”, ressalta Vanderli Marchiori, consultora em nutrição da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (ABITRIGO). O Sistema Único de Saúde (SUS) gasta mais de R$ 450 milhões anualmente para tratar problemas decorrentes desta causa, aproximadamente 30% do total destinado aos serviços de saúde pública. “De nada adianta todo este investimento se a população não se conscientizar sobre a importância da alimentação equilibrada, iniciativa que previne e pode reverter a realidade preocupante que vivemos”, pontua a nutricionista.
A obesidade tem origem multifatorial e as causas predominantes são maus hábitos alimentares, falta de atividade física e desequilíbrios fisiológicos. Esta doença pode levar a diversas outras complicações, como hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, diabetes tipo 2, fadiga, apneia do sono, câncer do intestino, incontinência urinária, entre outros.
A especialista afirma que o primeiro passo para melhorar a qualidade de vida é iniciar um processo de reeducação alimentar que prioriza limitar a ingestão de calorias. “Restringir carboidratos, gorduras ou qualquer outro tipo de nutriente não fará você perder peso de maneira saudável e duradoura. O ideal é seguir uma dieta balanceada, de 1.200 a 1.500 calorias para mulheres e 1.500 a 1.800 para homens”, diz. A alimentação só é considerada equilibrada quando contém quantidades adequadas de vitaminas, proteínas, carboidratos e minerais para que o organismo e a mente trabalhem melhor.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...