Diretores financeiros têm maior nível de otimismo em um ano

O otimismo se consolidou entre os executivos financeiros. A informação faz parte do levantamento trimestral feito pela Saint Paul Escola de Negócios e o IBEF-SP (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças), que na sua quinta edição revelou um índice 40% superior ao do primeiro trimestre do ano passado. Os três primeiros meses de 2017 apresentaram um padrão relevante de otimismo: os três componentes do índice (ambiente macroeconômico, setor e empresa) apresentaram resultados acima de 100 pontos (neutralidade), indicando um otimismo generalizado pelos CFOs. Ainda de acordo com o estudo, a reversão para expectativas otimistas ocorreu recentemente, no quarto trimestre do ano passado. O maior aumento foi verificado no índice que mede o sentimento desses executivos em relação ao ambiente macro. Verifica-se uma forte retomada da confiança na economia brasileira ao longo desse período, o que se reflete em uma melhora generalizada nas perspectivas quanto a diversos indicadores, como PIB, inflação, taxas de juros e outros.
Pela primeira vez, desde o início da pesquisa, nenhum CFO da amostra indicou expectativa de queda do PIB. E a expectativa média para os próximos 12 meses em relação às demais variáveis macroeconômicas apresentaram relevantes melhoras: inflação de 4,7% (ante 5,6% na edição anterior), câmbio a R$ 3,20 (ante R$ 3,40), Selic a 9,5% (ante 11,3%) e crescimento de 0,6% no PIB (ante aumento de 0,1%).
Apesar da melhora no otimismo dos CFOs quanto à macroeconomia, os respondentes continuam preocupados com a demanda do mercado interno, que apresentou 17,3% na frequência de respostas, ante 24,3% no trimestre anterior. Competitividade e aspectos regulatórios seguem como focos de preocupações, apresentando representatividade elevada assim como em edições anteriores da pesquisa.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta