Abit divulga dados do setor têxtil

Leia também

As importações brasileiras de vestuário da China deram novo salto em abril, crescendo 102,56% no período, em relação ao mesmo mês de 2016. É o que mostram os dados da balança comercial do setor, divulgados pela Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção). Em volume, as compras de produtos chineses alcançaram 6.810 toneladas em abril de 2017, contra 3.362 toneladas no mesmo mês de 2016. De janeiro a abril deste ano, o total de importações de vestuário da China foi de 29.476 toneladas, contra um resultado acumulado de 38.734 toneladas no primeiro quadrimestre de 2016. Apenas em abril de 2017, as importações chinesas representaram 75,7% do total de vestuário importado pelo Brasil, que no mês foi de 3.362 toneladas. De janeiro a abril, as importações chinesas somaram 76,1% de 38.734 toneladas importados no ano. Em abril, as importações de vestuário da China totalizaram US$ 74.628 milhões. As importações totais do mercado brasileiro, também no mês de abril, foram de US$ 52.392 milhões. De janeiro a abril, as importações brasileiras vindas da China foram de US$ 357.623 milhões. Em escala total, as importações brasileiras de vestuário somaram US$ 564.316 milhões nos quatro primeiros meses de 2017.
O balanço divulgado pela Abit mostrou, ainda, que as importações totais do setor têxtil (incluindo matérias-primas) cresceram de 70 toneladas para 102 toneladas em abril deste ano. Em dados consolidados, as importações brasileiras de vestuário aumentaram 72,4% no mesmo mês, totalizando 8.998 toneladas. Em dólares, esse montante aumentou 24,8%. De acordo com a Abit, em abril, a balança comercial do setor têxtil registrou um déficit de 88 toneladas, contra déficit de 53 toneladas, em abril de 2016, com variação de 67,98%. Em dólares, o saldo ficou negativo em US$ 295 milhões, variação de 61,43% em comparação a abril de 2016, quando o déficit registrado foi de US$ 183 milhões.
De janeiro a abril deste ano, a diferença entre as compras e as vendas do setor têxtil, sem fibra de algodão, gerou um saldo negativo de 346 toneladas, contra déficit de 233 toneladas registrado nos quatro primeiros meses de 2016. No primeiro quadrimestre de 2017, a Abit informou que a balança comercial do setor têxtil apresentou déficit US$ 1.298 bilhão. De janeiro a abril de 2016, o déficit foi de US$ 1.036 bilhão.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...