Brasil é o segundo país mais insatisfeito com serviços públicos

Estudo global revela que 76% da população do mundo sente que a economia de seus países favorece os mais ricos e poderosos. O levantamento foi feito pela Ipsos, que ouviu mais de 18 mil pessoas em 23 países, incluindo o Brasil. O resultado da pesquisa traça um amplo panorama com as principais percepções sobre serviços públicos, presença da mulher no ambiente profissional, globalização e outros aspectos importantes da sociedade atual. Confira abaixo alguns dos principais pontos no Brasil e no mundo:
Mundo

  • 76% das pessoas em todo mundo sentem que a economia de seus países é manipulada em benefício dos ricos e poderosos;
  • O mundo é considerado um lugar cada vez mais perigoso para 82% dos entrevistados;
  • 79% dos participantes acham que o mundo está mudando muito rápido;
  • 74% acreditam que gays e lésbicas devem ser livres para viverem suas próprias vidas como quiserem;
  • 57% dos entrevistados acham que seria melhor se mais mulheres ocupassem cargos no governo e no país. As nações que mais concordam são: Índia (79%), Turquia (72%), África do Sul (70%) e Brasil (69%);
  • O papel das mulheres na sociedade é ser boa mãe e esposa, de acordo com 37% da população global;
  • 55% dos entrevistados acham que a globalização é boa para o seu país. Mas a Europa Ocidental – incluindo Grã-Bretanha, França e Espanha –, é a mais pessimista com relação à globalização;
  • 69% das pessoas, globalmente, sentem que precisam mais de guias e mentores do que de políticos.

Brasil

  • O Brasil é o segundo país mais insatisfeito com os serviços públicos (70%), atrás apenas do México (71%);
  • 84% querem ter mais autonomia em suas vidas e depender cada vez menos de qualquer autoridade externa;
  • 85% acreditam que para alcançar as coisas na vida é necessário assumir mais riscos do que nunca;
  • 77% são favoráveis que gays e lésbicas devem ser livres para viverem suas próprias vidas como quiserem;
  • O papel das mulheres na sociedade é ser boa mãe e esposa, de acordo com 43% da população brasileira, fazendo com que o pais verde-amarelo fique na quinta colocação, atrás de Indonésia (76%), Rússia (69%) Índia (64%) e Turquia (47%).

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta