Um terço das médias empresas planeja crescer de 6% a 10% em 2017

Leia também

O mercado global de médias empresas (middle market), formado por companhias com faturamento anual de US$ 1 milhão a US$ 3 bilhões, não mostra sinais de desaceleração diante das incertezas geopolíticas. Pouco mais de um terço (34%) destas companhias planejam crescer entre 6% e 10% neste ano, em um ritmo bem superior – até 7% acima do esperado – que a mais recente projeção do Banco Mundial, que apontava alta de 2,7% do PIB do setor.
O estudo inédito EY Growth Barometer, que ouviu 2.340 executivos de médias empresas de 30 países, revela que este cenário positivo se dá mesmo com as tensões geopolíticas que se observam hoje no mundo. A grande maioria dos entrevistados (89%) enxergam neste cenário atual de incerteza um terreno com oportunidades de crescimento. Além disso, 14% de todas as companhias participantes ambicionam crescer acima de 16% neste ano.
Em um ranking de fatores críticos para atender aos anseios de crescimento, as pessoas (23%) são citadas como a maior prioridade das empresas, à frente de aprimoramento das operações (21%), eliminação da burocracia (12%) e acordos vantajosos (8%). Um dado impactante indica que 93% dos executivos veem a tecnologia como um meio de atrair os talentos de que precisam. Novos avanços em inteligência artificial estão melhorando os processos de recrutamento e seleção, ajudando startups inovadoras a encontrar talentos especializados. Líderes de middle market estão usando a tecnologia para atrair e reter talentos, acelerar o crescimento, melhorar a produtividade e aumentar a lucratividade.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...