Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio

Leia também

O movimento do comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0% frente aos 12 meses antecedentes. Já na comparação mensal contra o mesmo mês do ano anterior, houve diminuição de 1,1%.
Desde novembro de 2016, o indicador do varejo vem gradualmente se recuperando quando observado na aferição acumulada em 12 meses, ainda que apresente um ritmo menor do que o esperado no início do ano. Contudo, para as próximas aferições aguardam-se resultados mais otimistas, uma vez que os efeitos da redução de juros, iniciada no terceiro trimestre de 2016, devem ser observados com mais intensidade, assim como uma melhoria dos níveis de renda, continuidade da redução do nível de preços, entre outros fatores.
Na análise mensal, dentre os principais setores, o de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou alta de 5,2% entre abril e maio, descontados os efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, a variação acumulada em 12 meses foi negativa em 2,8%. A categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados” subiu 0,4% no mês, expurgados os efeitos sazonais. Já na comparação da série sazonal, nos dados acumulados em 12 meses houve recuo de 7,8%. A atividade do setor de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” subiu 0,7% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses recuou 1,8%. Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” apresentou estabilidade em maio considerando dados dessazonalizados, enquanto na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses apresentou queda de 4,4%.
O indicador Movimento do Comércio é elaborado a partir da quantidade de consultas à base de dados da Boa Vista SCPC por empresas do setor varejista.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Desemprego de jovens na pandemia pode criar “herança de décadas”

A pandemia ameaça criar uma geração perdida de jovens, afetados pelo aumento do desemprego e mais expostos a trabalhos precários. Mais de uma a...

Cresce o número de pessoas que evitam notícias sobre o coronavírus

Nos primeiros meses da pandemia, a busca por novidades sobre o assunto disparou. No fim de março, com o avanço do coronavírus, o tráfego...

Como Portugal tem combatido as fake news na pandemia

Por Marcos Freire*, de Ovar (Portugal), especial para o Vida de Empresa Parece não ser exagero dizer que as notícias sobre a pandemia - as...

Pandemia: anúncio com tom “estamos com você” já não mobiliza consumidor

Na pandemia, as pessoas passaram a consumir mais conteúdo - e isso inclui publicidade. Por um lado, isso reforça a importância de empresas e...

As vantagens dos escritórios que o home office (ainda) não tem

O trabalho remoto como norma, e não mais como exceção, tem sido amplamente considerado uma das mudanças trazidas pelo novo coronavírus que devem seguir...