ABIHPEC e Apex-Brasil renovam convênio de internacionalização

Leia também

A Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) assinou a renovação do convênio com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Desenvolvido desde o ano 2000, o Beautycare Brazil vem alcançando uma história de sucesso de apoio à exportação e para a relevância do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPPC) para a economia nacional.
As ações traçadas para este novo momento têm como objetivo aumentar a representatividade e a visibilidade das empresas brasileiras que atuam no segmento de HPPC. Entre as atividades previstas para o biênio 2017-2019, estão ações de qualificação e capacitação, missões prospectivas e comerciais, promoção de imagem internacional, reuniões de negócios, além da presença e participação (ativa) em reuniões e discussões para defesa de interesses e facilitação ao comércio voltadas ao setor.
Com o surgimento do Beautycare Brazil, as marcas brasileiras do setor começaram a se inserir no cenário internacional, e o enxergaram como um aliado para se fortalecer no mercado externo. O projeto fechou o ano de 2016 com 100 empresas participantes e atualmente compreende as companhias de produtos acabados, as de insumos da cadeia produtiva de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos e, recentemente, passou a incorporar acessórios –  tornando assim o projeto mais robusto e acessível a todos as empresas que representam o segmento.
Para o presidente-executivo da ABIHPEC, João Carlos Basilio, “a parceria ininterrupta com a Apex-Brasil vem superando anos turbulentos do País, em decorrência dos bons resultados alcançados em 17 anos de projeto. Pela continuidade e manutenção é fundamental que haja uma política de incentivo e promoção de exportação constante”, finaliza o executivo.
“A renovação vem ao encontro do grande potencial que a cadeia de cuidados pessoais tem para o comércio exterior brasileiro. Estamos sofisticando a nossa agenda de trabalho, de forma a apoiar toda a indústria, o que inclui ingredientes para cosméticos, embalagens e serviços, ao mesmo tempo em que consolidamos pautas relevantes internacionalmente, tal como o uso adequado e sustentável da biodiversidade brasileira como vantagem competitiva. É importante destacar que, além da geração de negócios imediatos, o projeto contribui para o ganho de competitividade e robustez das empresas do setor”, diz Christiano Braga, gerente de Exportações da Apex-Brasil.
Para o próximo biênio o projeto terá EUA, México, Argentina, Peru, África do Sul, Alemanha, Reino Unido, França, Turquia, Arábia Saudita, Índia e Coreia do Sul como mercados alvo de investida.
 

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...