Inadimplência sobe 4,4% no Brasil em 2018 e tem maior alta em seis anos

Leia também

O número de inadimplentes cresceu 4,4% no Brasil em 2018, a maior alta registrada no país desde 2012, quando o aumento foi de 6,8%, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Ao todo, o país fechou o ano passado com 62,6 milhões de consumidores com contas em atraso e o CPF restrito para a tomada de crédito.
O número total significa que 41% da população adulta residente no Brasil tinha contas vencidas. O levantamento inclui dados do sistema bancário, do comércio e de prestadoras de serviços públicos.
Segundo o presidente da CNDL, José Cesar da Costa, mesmo com a lenta recuperação econômica em curso, as famílias ainda enfrentam dificuldades para honrar seus compromissos. “A reversão desse quadro passa pela continuidade da melhora econômica, incluindo emprego e renda”, afirmou Costa, em nota.
O crescimento da quantidade de inadimplentes no levantamento da CNDL e do SPC Brasil ocorre enquanto cai a taxa de inadimplência, apurada pelo Banco Central. O BC calcula a proporção de brasileiros que estão atrasando a quitação de financiamentos em bancos .
A divergência na evolução dos indicadores existe porque, enquanto o dado do BC se limita ao crédito bancário, o levantamento da CNDL e do SPC Brasil inclui qualquer tipo de dívida, como contas de luz e de água, informa o Estadão Conteúdo.
A taxa de inadimplência do BC tem caído gradualmente desde 2016. Isso ocorre porque, com o aumento do desemprego e a diminuição do renda, os consumidores ficaram mais receosos em pedir crédito, ao mesmo tempo em que os bancos ficaram mais exigentes na liberação de recursos.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes