TV por assinatura: Brasil perde R$ 9 bi por ano com 'gatonet', diz associação

O Brasil perde quase R$ 9 bilhões por ano com o uso pirata de serviços de televisão por assinatura, segundo um estudo da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA). O custo total da pirataria de TV paga no país para operadoras, proprietários de conteúdo, setores correlatos e impostos chega a R$ 8,7 bilhões, de acordo com o levantamento.
Somente para o setor de TV por assinatura, o prejuízo é de R$ 6 bilhões em receitas perdidas. Segundo a ABTA, existem pelo menos 4,2 milhões de brasileiros que acessam plataformas piratas, que não têm o direito de distribuição dos canais ofertados.
LEIA TAMBÉM:
– Conheça o trabalho da ABES para coibir a pirataria na indústria de softwares
– O que associações dizem sobre emissora oferecer conteúdo pela internet sem TV
– Mercado de segurança digital deve movimentar US$ 300 bi no mundo até 2024
No entanto, o número é considerado subestimado. Isso ocorre porque ele se se baseia na diferença entre os dados oficiais de assinantes de TV paga da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o número de domicílios que alegam receber TV por assinatura.
O Estado brasileiro perde anualmente R$ 1,2 bilhão em tributos, enquanto, para o mercado de serviços terceirizados, o prejuízo soma R$ 807 milhões. Há ainda uma perda em salários e encargos de R$ 164 milhões, além da arrecadação do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD). A pirataria também deixa de gerar 2 mil empregos diretos.
A pirataria de serviços de TV paga ocorre por meio de conversores não certificados que burlam a proteção das transmissões via satélite, até dispositivos com aplicativos conectados à internet que distribuem os canais mediante, ou não, pagamento.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta