Lição corporativa da crise: os PowerPoints do governador de Nova York

Leia também

Observadores atentos já perceberam que a pandemia causada pelo novo coronavírus é também uma oportunidade única para aprendizados para a vida corporativa. Os líderes empresariais estão precisando se adaptar a situações que muito provavelmente não se repetirão em suas vidas. Como comandar uma equipe inteira que, de um dia para o outro, passa a trabalhar apenas de modo remoto? Como uma loja pode seguir faturando se as pessoas não saem mais de casa? Como administrar uma crise sem precedentes como a atual?

Não há fórmula pronta porque esta é a primeira pandemia do mundo globalizado. Assim, é preciso colher lições ao longo do caminho, enquanto se tenta, na prática, manter o ânimo dos colaboradores, o engajamento dos clientes e os compromissos com os credores. E uma das lições vem das coletivas de imprensa do governador de Nova York, Andrew Cuomo. Ele tem se mostrado um mestre em apresentações em PowerPoint, ferramenta tão presente no universo corporativo.

Os materiais gráficos que acompanham as manifestações do governador são, ao mesmo tempo, didáticos e contundentes. Um exemplo de seu estilo apareceu em um tuíte do dia 24 de março. Nele, o governador aparece ao lado de uma lâmina de PowerPoint que leva o título “Pessoas jovens não se encaixam totalmente”, em referência aos comentários de que a covid-19 é uma doença que só ameaça idosos. Na sequência, com simplicidade e clareza, a lâmina traz a mensagem “Você está errado”.

“As pessoas não ficavam tão empolgadas com apresentações do gênero desde que Steve Jobs revelou o iPhone ao mundo”, escreveu a Fast Company. Segundo a publicação, os PowerPoints são um dos segredos que têm ajudado a construir a boa reputação do governador na gestão da crise. Nova York é o estado mais afetado pela pandemia nos Estados Unidos. Cuomo tem aparecido como um líder que transmite ao mesmo tempo autoridade e estabilidade. Nesse contexto, a forma como ele se comunica é tão importante quanto as decisões que toma.

Os “segredos” de Cuomo

Não há grande rebuscamento no design das peças. Nelas, o importante é a clareza das informações, o balanço equilibrado entre uso de texto e imagem, a orientação dada à população sobre o que fazer e o que não fazer e, no caso de assuntos prioritário, o detalhamento dos dados. Também é importante o fato de as apresentações serem diárias.

Além disso, Cuomo se encarrega de explicar ao público temas novos relacionados à pandemia. Quando começou a surgir a discussão sobre por que os ventiladores pulmonares são um item essencial para salvar pacientes internados com covid-19,  o governador apresentou uma série de slides mostrando como é o aparelho (é de se supor, afinal, que a maioria das pessoas jamais tenha visto um), como eles funcionam, quanto tempo uma pessoa infectada pelo coronavírus precisa do ventilador e o que acontece quando esses aparelhos começam a faltar nos hospitais.

“Estamos lutando contra duas coisas: o vírus e o medo”, disse Cuomo no último domingo. Nos dois casos, clareza e didatismo são essenciais para que um líder possa transmitir sua mensagem – e ter, como resposta, a obediência da população.

Clique aqui e leia no Vida de Empresa histórias sobre como as companhias estão enfrentando o coronavírus.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Desemprego de jovens na pandemia pode criar “herança de décadas”

A pandemia ameaça criar uma geração perdida de jovens, afetados pelo aumento do desemprego e mais expostos a trabalhos precários. Mais de uma a...

Cresce o número de pessoas que evitam notícias sobre o coronavírus

Nos primeiros meses da pandemia, a busca por novidades sobre o assunto disparou. No fim de março, com o avanço do coronavírus, o tráfego...

Como Portugal tem combatido as fake news na pandemia

Por Marcos Freire*, de Ovar (Portugal), especial para o Vida de Empresa Parece não ser exagero dizer que as notícias sobre a pandemia - as...

Pandemia: anúncio com tom “estamos com você” já não mobiliza consumidor

Na pandemia, as pessoas passaram a consumir mais conteúdo - e isso inclui publicidade. Por um lado, isso reforça a importância de empresas e...

As vantagens dos escritórios que o home office (ainda) não tem

O trabalho remoto como norma, e não mais como exceção, tem sido amplamente considerado uma das mudanças trazidas pelo novo coronavírus que devem seguir...