Cinco dicas para reduzir o tempo diante das telas no home office

Leia também

Muitas pessoas que passaram a trabalhar de casa durante a pandemia – e que não estavam habituadas com esse regime – têm relatado a percepção de que estão trabalhando mais do que imaginavam que ocorreria. E talvez não seja apenas sensação, mas fato. Afinal, trabalhar no escritório significa também intervalos, ainda que muito breves, para deslocamento, reuniões formais, conversas informais, cafés e almoços.

Ao longo do dia, essas pausas, ainda que muito breves, servem também como intervalos de distanciamento de computadores e smartphones. No home office, a pausa para um bate-papo está toda redirecionada ao trabalho. O tempo extra na frente do computador pode causar fadiga ocular e muscular, o que ajuda a explicar o quadro de estafa entre muitos profissionais que passaram a trabalhar a partir de suas casas.

O que fazer a respeito? Em artigo para a Harvard Business Review, Elizabeth Grace Saunders, consultora especializada em gestão do tempo e autora, entre outros, do livro How to Invest Your Time Like Money, apresenta cinco ideias para quem está em home office diminuir o tempo que fica diante de uma tela – mas sem que isso signifique menos produtividade. Veja as sugestões da especialista:

Nem toda conversa precisa ser pelo Zoom

O Zoom e outros aplicativos de teleconferência têm ajudado muitas empresas a manter suas atividades no período de isolamento social. Mas, com a praticidade, há quem faça de toda conversa um motivo para uma chamada por vídeo. Se um telefonema bastar para tratar de um assunto, faça o telefonema. Não é porque a ferramenta está à mão que ela precisa se usada sempre.

Limite o tempo da suas reuniões

Em circunstâncias normais, delimitar o tempo para uma tarefa qualquer é sempre uma boa ideia. Essa abordagem ganhou peso ainda maior na pandemia, quando as pessoas passaram a ter que dividir seu tempo entre atividades profissionais e cuidados domésticos. Estabelecer em quais horários você não estará disponível para reuniões – uma parte da manhã ou da tarde, por exemplo – permitirá controlar o volume de comunicação virtual que você tem por dia.

Escolha físico em vez de digital

Para reduzir o tempo que você fica diante de uma tela, procure opções que permitam também o uso de baixa tecnologia. Vai elaborar ideias para um artigo? Escreva seus pensamentos no papel. Vai desenvolver um roteiro para um grande projeto? Esboce o rascunho inicial em um quadro branco. Vai ler um livro? Pegue uma cópia impressa. A “pausa digital” ajuda a aliviar a cabeça – e também a estimular a criatividade.

Movimente-se o máximo possível

Ficar parado diante do computador por várias horas enrijece a musculatura, o que causa cansaço. Assim, sempre que possível, levante-se e se mova. Entre uma reunião e outra, caminhe até a cozinha para beber água ou pegar mais café. Quando precisar de uma pausa rápida, faça alguns movimentos simples, como girar os ombros para fazer o sangue fluir. E, se estiver em uma ligação telefônica que não exija fazer anotações ou consultar documentos, considere levantar-se ou até andar para frente e para trás durante a conversa.

Faça intervalos livres de tecnologia

Embora possa parecer mais “eficiente” almoçar no seu computador, seu cérebro agradecerá por fazer uma pausa na tela. Almoçar enquanto conversa com os membros da sua família na cozinha, olhando pela janela ou lendo um livro físico. Além de dar uma pausa a seu cérebro, afastar-se da tecnologia ajuda a colocar as coisas em perspectiva. Mesmo um almoço de 15 ou 20 minutos pode ser sinônimo de mais tranquilidade – desde que você não fique com o celular à mão, lendo emails ou consultando as suas contas nas redes sociais.

Uma atividade física ao ar livre pós-trabalho também pode ajudar muito. Isso inclui um passeio, jogar basquete na garagem, jardinagem ou qualquer outra coisa que o mantenha ativo. Esse afastamento do mundo digital ajuda seu cérebro a distinguir o fim de seu expediente no trabalho e o início do seu tempo pessoal.

Clique aqui e leia no Vida de Empresa histórias sobre como as companhias estão enfrentando o coronavírus.

 

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Desemprego de jovens na pandemia pode criar “herança de décadas”

A pandemia ameaça criar uma geração perdida de jovens, afetados pelo aumento do desemprego e mais expostos a trabalhos precários. Mais de uma a...

Cresce o número de pessoas que evitam notícias sobre o coronavírus

Nos primeiros meses da pandemia, a busca por novidades sobre o assunto disparou. No fim de março, com o avanço do coronavírus, o tráfego...

Como Portugal tem combatido as fake news na pandemia

Por Marcos Freire*, de Ovar (Portugal), especial para o Vida de Empresa Parece não ser exagero dizer que as notícias sobre a pandemia - as...

Pandemia: anúncio com tom “estamos com você” já não mobiliza consumidor

Na pandemia, as pessoas passaram a consumir mais conteúdo - e isso inclui publicidade. Por um lado, isso reforça a importância de empresas e...

As vantagens dos escritórios que o home office (ainda) não tem

O trabalho remoto como norma, e não mais como exceção, tem sido amplamente considerado uma das mudanças trazidas pelo novo coronavírus que devem seguir...