Em pesquisa, startups decretam: trabalho presencial está com os dias contados

Leia também

Com a pandemia, a era das empresas que dependem de amplos escritórios para abrigar suas equipes pode mesmo estar com os dias contados. A transformação do home office em norma corporativa, e não mais em exceção, voltou a ser atestada em uma pesquisa com 517 fundadores de startups.

Mesmo que as medidas de isolamento social fossem suspensas amanhã, 65% dos entrevistados não chamariam suas equipes de volta aos escritórios. Além disso, 71% pretendem deixar alguns ou mesmo todos os seus funcionários trabalhando de maneira remota quando as restrições de fato acabarem.

A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos pela empresa de treinamento de líderes empresariais The Kung Group. A decisão de manter o home office indefinidamente está diretamente ligada ao fato de a produtividade dos colaboradores dessas startups não ter caído: dos entrevistados, 60% disseram que o isolamento adotado na pandemia não diminuiu a eficiência de suas equipes. E, segundo 16% dos empresários ouvidos, a produtividade até aumentou.

Escritórios menores

As descobertas da pesquisa apontam para algumas das tendências do universo empresarial para o mundo pós-coronavírus. Dois terços dos empreendedores consultados estão pensando em deixar (ou reduzir) seus escritórios, de acordo com a pesquisa. Essa decisão deve ocorrer porque, em média, 70% dos funcionários que antes exerciam suas funções de maneira presencial podem seguir trabalhando remotamente depois da pandemia.

Os empreendedores também afirmam estar mais cientes das medidas para assegurar a saúde das equipes: dos entrevistados, 67% disseram que devem incluir a higienização ou esterilização dos ambientes de trabalho na lista de prioridades da empresa. A maioria (61%) disse ainda que pretende permitir que os funcionários continuem trabalhando em casa até que se sentissem seguros o suficiente para viajar e pudessem fazer ajustes na rotina doméstica para os cuidados com seus filhos.

Clique aqui e leia no Vida de Empresa histórias sobre como as companhias estão enfrentando o coronavírus.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...