Fortuna de bilionários dos EUA cresce meio trilhão de dólares na pandemia

Leia também

A pandemia tem causado retração econômica e desemprego em todo o mundo, mas há quem esteja multiplicando seu patrimônio com ela. Nesse grupo estão alguns dos maiores bilionários dos Estados Unidos. Eles viram sua fortuna crescer nada menos que meio trilhão de dólares desde que o país passou a adotar medidas de distanciamento social para conter a disseminação do novo coronavírus.

Segundo um relatório publicado nesta quinta-feira (4/6) pelo centro de pesquisas Institute for Policy Studies, a riqueza combinada das pessoas mais ricas dos EUA cresceu 19,1% nas 11 semanas que se passaram desde 18 de março, quando o isolamento começou a entrar em vigor. Nesses menos de três meses, a fortuna somada dos bilionários americanos engordou US$ 565 bilhões, sendo US$ 79 bilhões apenas na última semana.

Em termos absolutos, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, e o criador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, foram os que mais engordaram suas fortunas, com acréscimos de US$ 36,2 bilhões e US$ 30,1 bilhões, respectivamente. Os dois foram os únicos que, segundo o instituto, viram seu patrimônio crescer mais de US$ 30 bilhões nesse período.

No mesmo intervalo de 11 semanas, 42,6 milhões de pessoas entraram com pedido de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, segundo estatísticas oficiais citadas pelo relatório. O número não inclui outros milhões de trabalhadores autônomos que solicitaram auxílio durante a crise.

“É importante registrar que a riqueza dos bilionários está crescendo, enquanto outras pessoas enfrentam perda de emprego, diminuição de suas economias, doenças debilitantes e morte”, escreve Chuck Collins, diretor do instituto e um dos autores do relatório. “Mesmo diante de adversidades econômicas sem precedentes, alguns bilionários estão ganhando dinheiro como nunca.”

Abaixo, as dez fortunas que mais cresceram nos EUA (em termos absolutos) desde 18 de março, segundo o levantamento.

  1. Jeff Bezos (Amazon): US$ 36,2 bilhões
  2. Mark Zuckerberg (Facebook): US$ 30,1 bilhões
  3. Elon Musk (Tesla e SpaceX): US$ 14,1 bilhões
  4. Sergey Brin (Google): US$ 13,9 bilhões
  5. Larry Page (Google): US$ 13,7 bilhões
  6. Steve Ballmer (ex-Microsoft): US$ 13,3 bilhões
  7. MacKenzie Bezos (Amazon): US$ 12,6 bilhões
  8. Michael Bloomberg (Bloomberg): US$ 12,1 bilhões
  9. Bill Gates (Microsoft): US$ 11,8 bilhões
  10. Phil Knight (Nike): US$ 11,6 bilhões

Clique aqui e leia no Vida de Empresa histórias sobre como as companhias estão enfrentando o coronavírus.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...