Britânicos criam “ranking de estresse” de líderes corporativos

Leia também

Há comparativos internacionais que classificam os líderes das empresas a partir de dados como suas fortunas pessoais ou o desempenho operacional e o crescimento dos lucros de suas corporações. Uma nova ferramenta permitiu recentemente a criação de um novo ranking: o dos níveis de estresse dos executivos.

A lista foi elaborada pela equipe da SHL, empresa de recrutamento de talentos para a área de inovação que atua em países da Europa, Ásia e África, além dos Estados Unidos. Mike Thelwall, professor de tecnologia da informação da Universidade de Wolverhampton, no Reino Unido, criou a ferramenta usada na montagem do comparativo.

Batizada de TensiStrength, a ferramenta analisa a gramática, a pontuação e as palavras usadas em tuítes para avaliar os níveis de estresse de seus autores. A SHL comparou cerca de 150 mil tuítes que 222 líderes políticos e empresariais americanos e britânicos produziram entre os anos de 2009 e 2020. Os níveis de estresse foram classificados em uma escala de -1 a -5, com -1 representando “sem estresse” e -5 sendo “estresse extremo”. Para a lista final, os autores consideraram o percentual de tuítes classificados entre -3 e -5.

Rupert Murdoch, fundador da News Corp., apareceu no topo: um em cada três de seus tuítes sugerem que o magnata das comunicações australiano – e radicado nos EUA – estaria com os nervos no limite quando os postou. Na sequência ficaram, pela ordem, Bill Gates criador da Microsoft, e Pierre Omidyar, CEO da plataforma de comércio eletrônico eBay.

A pandemia aumentou os níveis de tensão entre homens e mulheres de negócios, é verdade, mas não deixa de ser curioso que Murdoch tenha ficado em primeiro no comparativo: sua conta no Twitter está inativa desde 2016.

A seguir, os dez “campeões do estresse”, segundo o ranking:

1 – Rupert Murdoch (CEO e fundador da News Corp.): 31,4%

2 – Bill Gates (fundador da Microsoft,): 26,8%

3 – Pierre Omidyar (CEO do eBay): 24,2%

4 – Reed Hastings (CEO da Netflix): 13,3%

5 – Tim Cook (CEO da Apple): 12,7%

6 – David Einhorn (presidente da Greenlight Capital): 11,3%

7 – Ayah Bdeir (CEO da littleBits): 11,1%

8 – Evan Kirstel (cofundador da eViRa Health): 10,2%

9 – Sarah Kunst (CEO da Cleo Capital)

10 – Richard Branson (fundador da Virgin): 9,5%

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

#NãoVolte: CEOs defendem que mundo não volte a ser como antes da pandemia

Um grupo de quase 50 líderes empresariais brasileiros, entre os quais estão mais de 30 CEOs, aderiu a uma campanha internacional que defende que...

O que coloca São Paulo entre os 100 maiores polos científicos do mundo

São Paulo está entre os 100 principais polos de produção científica do mundo, segundo um novo ranking, publicado neste início de setembro. A lista é um...

Filantropia aumenta a desigualdade em vez de reduzi-la, diz novo livro

A filantropia nunca foi tão intensa no mundo quanto nos dias de hoje, mas, em vez de ajudar a reduzir a distância de renda...

Carlos Brito, da AB InBev: os três pilares da liderança corporativa

Após mais de uma década, Carlos Brito pode estar perto de encerrar sua trajetória como principal executivo da Anheuser-Busch InBev. O Financial Times informou nesta...

As diferenças entre o boom de IPOs de 2020 e o de 2007

Se o ritmo atual se mantiver, o mercado de capitais brasileiro deve registrar um volume recorde de lançamentos de novas ações na B3. Nesta...