Pesquisa revela aumento de produtividade de trabalho intelectual no home office

Leia também

A pandemia exigiu a adoção de medidas de isolamento social em boa parte do mundo ao longo de 2020, entre elas o home office nas empresas. Se, por um lado, nem todas as funções nas companhias podem ser desempenhadas de maneira remota, por outro, há relatos de aumento de produtividade no trabalho em casa. Nessa lista estão as atividades intelectuais, segundo uma pesquisa publicada nesta segunda-feira (31/8).

A pesquisa foi produzida por Julian Birkinshaw e Pawel Stach, respectivamente professor e pesquisador da London Business School, e por Jordan Cohen, executivo da Lifelabs Learning. O trio escreveu sobre algumas das conclusões do levantamento em um artigo para a Harvard Business Review.

“Em vez de uma reflexão geral sobre seu trabalho, pedimos às pessoas que abrissem suas agendas e fossem para um dia típico de sua vida profissional na semana anterior (ao início do isolamento)”, explicam os autores. “Em seguida, pedimos que listassem entre seis e dez atividades distintas durante aquele dia, como uma reunião, um telefonema ou um intervalo de tempo respondendo e-mails.”

Segundo eles, o isolamento ajudou os profissionais a focar no trabalho que realmente importa. O tempo gasto em grandes reuniões caiu 12%, enquanto a interação com clientes e parceiros externos subiu 9%. Para esses profissionais, trabalhar em casa serviu para aumentar a responsabilidade sobre a administração do tempo. O número de tarefas avaliadas como cansativas caiu de 27% para 12%, e o volume das que poderiam facilmente ser delegadas a outras pessoas passou de 41% para 27%.

Feita entre maio e junho, a pesquisa considerou 264 atividades de 40 pessoas diferentes. Os profissionais, de idades, setores e níveis de experiência diversos, foram escolhidos aleatoriamente, mas tinham que ter pelo menos um diploma de bacharel e cinco anos de experiência de trabalho em tempo integral. Além disso, sua ocupação tinha que necessariamente ser determinada pelo uso de inteligência e sua capacidade de fazer julgamentos sólidos.

“Em resumo, no curto prazo, o isolamento foi positivo para a produtividade dos trabalhadores intelectuais”, escreveram os autores. Mas eles fizeram ressalvas. “O isolamento também criou algumas preocupações e desafios em torno da eficácia, criatividade e resiliência pessoal de longo prazo.”

Clique aqui e leia no Vida de Empresa histórias sobre como as companhias estão enfrentando o coronavírus.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Em dois anos, empresas que não se modernizarem parecerão do século passado, diz Monica de Bolle

Monica de Bolle, professora da Johns Hopkins University e pesquisadora sênior do Peterson Institute for International Economics, ambos em Washington, afirma, em entrevista exclusiva...

Insead aponta ferramentas para transformar suas ideias em realidade

Um artigo publicado na prestigiosa escola de administração europeia Insead apontou quais ferramentas são necessárias para transformar uma inovação em uma inovação bem-sucedida. O...

As entregas do e-commerce precisam ser tão rápidas?, questiona Correos da Espanha

Em tempos de Black Friday, quase tão importante quanto os descontos são os prazos para entregas. Se antes a disputa era por dias, agora...

Grupo brasileiro lança movimento CEOs pela Diversidade e Inclusão

Um grupo de CEOs de grandes empresas brasileiras lançará, no dia 26 de novembro, o Movimento Impacto - CEOs pela Diversidade e Inclusão. O...

Vacinas contra Covid-19 levam FMI a sugerir investimentos para a retomada econômica global

O otimismo gerado com notícias promissoras quase diárias sobre vacinas contra a Covid-19 levou o Fundo Monetário Internacional (FMI), em um texto desta terça-feira...