Brasil está entre os países que mais avançaram na competitividade digital, veja o ranking 

Leia também

Fintechs brasileiras batem recorde e captam mais de US$ 1,9 bilhão em 2020

Um levantamento da Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da empresa de inovação aberta Distrito, afirma que o ano de 2020 foi de...

Cresce interesse de investidores sobre ESG no mercado brasileiro

O ESG provou que não é apenas uma moda. As empresas e investidores se preocupam tanto com questões ambientais, sociais e de governança como...

O Brasil subiu seis posições no tradicional Ranking de Competitividade Mundial do IMD (International Institute for Management Development), em 2020. Apesar do avanço entre os 63 países estudados, o Brasil ocupa a longínqua 51ª posição, ou seja, ainda há um longo caminho para percorrer para melhorar o ambiente de negócio para as empresas.

Segundo a Fundação Dom Cabral, parceira brasileira do IMD no ranking, o avanço de posições do Brasil se deve “aos ganhos em relação à concentração científica, estrutura regulatória, capital e agilidade para negócios. Esta, em especial, apresentou melhoras na maioria de seus componentes, tais quais a transferência de conhecimento entre universidades e setor privado e a agilidade das empresas. Ainda assim, há muito a ser feito para que o país mantenha avanços sustentáveis no cenário mundial e amplifique sua competitividade”. 

No topo do ranking poucas mudanças. Estados Unidos seguem em primeiro, assim como Singapura manteve a segunda posição, seguidos por Dinamarca (3º), que ultrapassou a Suécia (4º) e Hong Kong (5º), este pela primeira vez entre os 5 líderes. O Chile (41º) segue à frente dos países latino-americanos, com avanço tímido de uma  posição em relação à edição anterior. 

A avaliação da competitividade digital de uma economia se baseia na análise de três fatores: Conhecimento – o know-how necessário para descobrir, compreender e construir novas tecnologias; Tecnologia – as condições gerais que possibilitam o desenvolvimento de tecnologias digitais; e prontidão para o futuro – o nível de preparo para explorar transformações digitais. 

Veja o ranking dos principais avanços no  Ranking de Competitividade Mundial do IMD

Chipre: avanço de 14 posições

Turquia: avanço de 8 posições

Estônia: avanço de 8 posições

Grécia: avanço de 7 posições

Brasil: avanço de 6 posições

China: avanço de 6 posições

Peru: avanço de 6 posições

 

Veja os líderes do ranking e os latinos melhor posicionados:

1º – EUA

2º – Singapura

3º – Dinamarca

4º – Suécia

5º – Hong Kong

6º – Suíça

7º – Holanda

8º – Coreia do Sul

9º – Noruega

10 – Finlândia

Leia a íntegra do estudo.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Cresce interesse de investidores sobre ESG no mercado brasileiro

O ESG provou que não é apenas uma moda. As empresas e investidores se preocupam tanto com questões ambientais, sociais e de governança como...

Fintechs brasileiras batem recorde e captam mais de US$ 1,9 bilhão em 2020

Um levantamento da Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da empresa de inovação aberta Distrito, afirma que o ano de 2020 foi de...

Levantamento do Linkedin mostra que trabalhadores terminaram 2020 menos otimistas

Trabalhadores brasileiros fecharam 2020 menos confiantes. Isso foi o que mostrou a quinta edição do Índice de Confiança do Trabalhador, realizado pelo LinkedIn, a...

Pandemia, crise climáticas e movimentos sociais levam a marketing a seu maior desafio

Muito se fala sobre transformações no jornalismo, nas mídias e no entretenimento. Pois agora é o momento de se repensar o marketing. Um artigo...

Vacinas, racismo e clima: motores do ESG em 2021

A Boston Common Asset Management definiu quais serão os três motores para os investimentos em ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança)...