Mulheres de periferia terão metade de vagas de cursos cervejeiros da Heineken no Brasil

Leia também

A decisão do Magazine Luíza de criar um programa de trainee apenas para jovens negros gerou debates no Brasil, com muitos vendo a iniciativa como um enfrentamento histórico à desigualdade racial no país, e outros reclamaram de possível caso de “racismo reverso”. Mas adotar fórmulas de promoção social é algo cada vez mais comum. No mês passado, a Bayer adotou critério semelhante ao da Magalu e, agora, esta política chega ao mercado das cervejas, com um curso focado para as periferias.

O Grupo Heineken Brasil, em parceria com o Instituto da Cerveja Brasil (ICB), deu um passo neste sentido com o curso focado para jovens de periferia. E em todos os novos cursos de cultura cervejeira dos próximos três anos terão mulheres negras de periferias como metade das vagas. O projeto é uma parceria Leandro Sequelle, educador social e fundador da Graja Beer, cervejaria artesanal nascida no Grajaú, periferia da Zona Sul de São Paulo. 

O objetivo da empresa é dar oportunidades e democratizar o conhecimento cervejeiro no país. Ao todo, mais de 30 turmas serão formadas até 2023. A turma inaugural, que também será o piloto do programa, acontece em novembro deste ano nas instalações da Graja Beer, na comunidade do Grajaú. A partir de janeiro de 2021, a iniciativa começa a percorrer o país e passará por 10 comunidades de cidades como Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR) e Fortaleza (CE).

 “Acreditamos que por ser uma bebida tão popular e democrática, a cerveja tem o poder de contribuir igualmente para a melhoria da sociedade e das relações humanas. Nosso projeto une educação cervejeira, comunidade, alegria, diversidade e a potência de um novo amanhã. A parceria Heineken, ICB e Graja Beer celebra o melhor do nosso mercado cervejeiro e o melhor do nosso povo”, celebra Leandro Sequelle.

A grade de conteúdo abordará conhecimento sobre a cerveja, a cadeia e o mercado cervejeiro e a formação em serviços do setor para atuação em bares e restaurantes. Ao final, os alunos serão avaliados e receberão um certificado de que estão aptos a atuar como vendedores, promotores, garçons, chopeiros, entre outras atividades.

“Acreditamos na cerveja como um elemento importante de conexão e queremos contribuir para o crescimento socioeconômico do país, em especial dos moradores e moradoras das periferias. A possibilidade de fazer isso de forma colaborativa com a Graja Beer, que está totalmente inserida nesse contexto, torna o processo ainda mais especial e alinhado com a forma como atuamos no país”, explica Thais dos Santos, Gerente de Comunicação Corporativa do Grupo Heineken no Brasil.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Em dois anos, empresas que não se modernizarem parecerão do século passado, diz Monica de Bolle

Monica de Bolle, professora da Johns Hopkins University e pesquisadora sênior do Peterson Institute for International Economics, ambos em Washington, afirma, em entrevista exclusiva...

Insead aponta ferramentas para transformar suas ideias em realidade

Um artigo publicado na prestigiosa escola de administração europeia Insead apontou quais ferramentas são necessárias para transformar uma inovação em uma inovação bem-sucedida. O...

As entregas do e-commerce precisam ser tão rápidas?, questiona Correos da Espanha

Em tempos de Black Friday, quase tão importante quanto os descontos são os prazos para entregas. Se antes a disputa era por dias, agora...

Grupo brasileiro lança movimento CEOs pela Diversidade e Inclusão

Um grupo de CEOs de grandes empresas brasileiras lançará, no dia 26 de novembro, o Movimento Impacto - CEOs pela Diversidade e Inclusão. O...

Vacinas contra Covid-19 levam FMI a sugerir investimentos para a retomada econômica global

O otimismo gerado com notícias promissoras quase diárias sobre vacinas contra a Covid-19 levou o Fundo Monetário Internacional (FMI), em um texto desta terça-feira...