Vacinas contra Covid-19 levam FMI a sugerir investimentos para a retomada econômica global

Leia também

De olho na China, Estados Unidos vota nova política industrial

O enfrentamento econômico entre os Estados Unidos e a China está levando a uma retomada da política industrial americana. Para voltar a produzir, prioritariamente,...

Empresas terão de reparar imagem ambiental do país desgastada pelo governo, diz especialista

Ao mesmo tempo em que o ESG (sigla em inglês para agenda ambiental, social e de governança) ganha espaço no país, principalmente no ambiente...

Executivos brasileiros se mostram preocupados com times de líderes, diz pesquisa

Um estudo realizado pela Robert Half, consultoria global de recrutamento especializado, em parceria com a Fundação Dom Cabral, mostrou que 54% dos executivos brasileiros...

O otimismo gerado com notícias promissoras quase diárias sobre vacinas contra a Covid-19 levou o Fundo Monetário Internacional (FMI), em um texto desta terça-feira em seu blog, a indicar aos governos que é hora de pensar em planejar a retomada da economia, que só será plena com imunizantes para a população. E, para isso, o melhor caminho é investir em infraestrutura.

No texto do blog — fórum para as opiniões da equipe e dos funcionários do FMI sobre as questões econômicas e políticas urgentes do dia —, o Fundo afirma que, ainda, as prioridades da economia global estão relacionadas à necessidade de produzir e distribuir vacinas globalmente, combater as mudanças climáticas e estimular a recuperação econômica da crise. E, para isso,  “um impulso de infraestrutura coletiva impulsionará o crescimento global”. 

O FMI defende que um maior número de países invistam, ao mesmo tempo, em infraestrutura, o que fará com que os benefícios econômicos ultrapassem fronteiras. “Na verdade, quando muitos países agem ao mesmo tempo, o investimento público em infraestrutura pode ajudar a elevar o crescimento interno e externo por meio de vínculos comerciais. Este efeito positivo de ‘transbordamento’ poderia fornecer um impulso adicional à produção global”.

O FMI alerta que, em temos de economia forte, muito gasto em infraestrutura poderia ter impacto inflacionário. “Mas quando as condições são fracas e a inflação está bem abaixo da meta, é menos provável que a política monetária aperte em resposta a maiores gastos do governo, resultando em uma resposta maior do produto. O contexto de ampla capacidade ociosa, portanto, amplifica o impacto tanto dos gastos domésticos com infraestrutura pública quanto da demanda decorrente de maiores investimentos públicos no exterior”, diz o texto.

Baseado em um relatório publicado antes da reunião do G20, o texto ainda indica que os benefícios para investimentos em infraestrutura pode ser ainda melhor se forem bem planejados. “Por exemplo, se esses gastos priorizarem investimentos verdes, também fortalecerão a resiliência e permitirão um mundo mais limpo para a próxima geração. Projetos eficientes de transporte de massa, redes elétricas inteligentes e reforma de edifícios para aumentar a eficiência energética podem ser priorizados”, afirma o FMI, que alerta ainda que o investimento público que exige muitos empregos, como manutenção de infraestrutura ou obras públicas que são implementadas de forma eficiente, também são essenciais.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Executivos brasileiros se mostram preocupados com times de líderes, diz pesquisa

Um estudo realizado pela Robert Half, consultoria global de recrutamento especializado, em parceria com a Fundação Dom Cabral, mostrou que 54% dos executivos brasileiros...

Empresas terão de reparar imagem ambiental do país desgastada pelo governo, diz especialista

Ao mesmo tempo em que o ESG (sigla em inglês para agenda ambiental, social e de governança) ganha espaço no país, principalmente no ambiente...

De olho na China, Estados Unidos vota nova política industrial

O enfrentamento econômico entre os Estados Unidos e a China está levando a uma retomada da política industrial americana. Para voltar a produzir, prioritariamente,...

Pesquisa da Câmara Americana de Comércio mostra engajamento ESG nas empresas do Brasil

Um levantamento inédito realizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham- Brasil) com 178 líderes de empresas e startups brasileiras, mostrou que 95% das companhias...

Maioria dos empresários brasileiros acredita em retomada de seus setores em até um ano depois da vacinação

Notícias econômicas positivas, turbinadas com fotos de países que parecem estar deixando a crise para trás com o avanço da vacinação, ampliam o otimismo....