Na Espanha, a ordem é reduzir, reutilizar, reciclar e, agora, também recompensar

Leia também

As normas europeias indicam que, até 2029, 90% das garrafas e latas de bebidas precisam ser recicladas. Há quem acredite que estas determinações podem até se tornarem mais rígidas nos próximos anos. Como o país segue muito atrás deste índice, com apenas 44% de reciclagem — muito abaixo dos 98% obtidos pela Alemanha – , uma nova palavra entrou nos “3Rs” (os famosos reduzir, reutilizar e reciclar ): recompensar. E isso gera novos negócios.

O que diversos governos locais estão fazendo, com o incentivo do governo federal, é criar programas de recompensas para quem destina corretamente suas garrafas ou latas. E isso só está se tornando uma realidade graças à tecnologia, que permite, com um celular, o rastreio das embalagens destinadas à reciclagem, gerando pontos. Ecoembes, a entidade nacional de coordenação de reciclagem, instalou na semana passa das dez primeiras máquinas automáticas do Sistema de Devolução e Recompensa (SDR).

Com os pontos acumulados com a reciclagem, as pessoas poderão escolher suas recompensas. Em Getafe, por exemplo, os pontos podem ser trocados por desconto no transporte público, garantir minutos no uso de patinetes elétricos ou até permitir que o reciclador ganhe uma bicicleta elétrica. Em outras localidades há a possibilidade de transformar estes pontos em dinheiro e doar valores para causas sociais e ONGs. E, em Barcelona, estes pontos podem significar descontos no comércio local. 

Ambientalistas afirmam que o modelo pode ser ampliado para outros segmentos além das embalagens de bebidas. Em Getxo, no País Basco, há um modelo semelhante para o descarte de aparatos eletrônicos, que geram descontos para a compra de novos produtos. Se por um lado isso começa a gerar negócios, há críticos alertando que muitos vão reciclar apenas pela recompensa, sem uma conscientização ambiental. Pode até ser em um primeiro momento, mas para a natureza o importante, neste momento, é ampliar o descarte correto de lixos e incentivar a reciclagem.

 

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Fitch: Volta do crescimento não é suficiente para reparar as finanças públicas da América Latina

A Fitch Ratings publicou nesta terça-feira um relatório que serve de alerta para os países e empresas da região:  a retomada do crescimento econômico...

Como manter sua equipe motivada no home office?

Há um ano o trabalho remoto era um desafio para a sobrevivência de empresas e negócios no início da pandemia. A transição para o...

Autenticidade e transparência são chave nas crises de comunicação em tempos de redes sociais, dizem especialistas

Em um mundo de ativismo global e repercussões em tempo real, estar prevenido quanto aos eventuais problemas decorrentes de crises em um negócio é...

Modelo híbrido é o preferido para pós-pandemia para mais da metade dos trabalhadores, diz pesquisa

Como será o trabalho no pós-pandemia? Muitas instituições estão pesquisando e propondo modelos, dos mais diversos. A consultoria americana McKinsey & Company apresentou uma...

Estudo aponta a bioindústria como caminho para desenvolvimento sustentável da Amazônia

Há caminho para o desenvolvimento com sustentabilidade, e ele passa por pesquisa, desenvolvimento e pela bioindústria. Esta é a conclusão do estudo “Amazônia e...