Levantamento do Linkedin mostra que trabalhadores terminaram 2020 menos otimistas

Leia também

Trabalhadores brasileiros fecharam 2020 menos confiantes. Isso foi o que mostrou a quinta edição do Índice de Confiança do Trabalhador, realizado pelo LinkedIn, a maior rede social profissional do mundo. Segundo o levantamento, o indicador caiu 2 pontos em relação ao período anterior, mantendo-se, assim, praticamente estável durante o último trimestre.
A insegurança em relação à manutenção do próprio emprego está entre as principais causas para a queda na confiança dos profissionais do país. Na sequência, fatores como “chance de progressão de carreira e perspectiva financeira”, contribuíram para esse cenário pessimista.

Enquanto os trabalhadores de pequenas empresas brasileiras acreditam que podem manter o emprego e crescer em suas carreiras, os de grandes empresas estão se mostraram mais confiantes em melhorar as finanças.
Menos confiantes e também mais estressados. A pesquisa identificou que os brasileiros estavam mais nervosos em novembro e dezembro em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo os dados, mais da metade dos profissionais empregados (63%) e dos desempregados ou que procuravam por uma oportunidade (69%) estavam se sentindo desta forma..

“Esse cenário fica mais evidente quando fazemos um recorte por gênero. As mulheres (74%) estavam mais estressadas do que os homens (58%), o que pode estar relacionado a uma dupla jornada, conciliando mais tempo de trabalho com tarefas domésticas, como muitas delas indicaram. Além disso, quase metade das mulheres afirmaram que tinham planos de trabalhar fora do horário de expediente ou em suas folgas”, destaca o estudo.
Com os planos de férias deixados de lado, além da falta de perspectiva de eventos sociais no período de festas (69% dos brasileiros dedicando menos tempo a esses encontros). O percentual pode ser justificado pelos 57% de respondentes disseram que as medidas de prevenção à Covid-19 definiram as atividades deste final do ano.

A saúde mental e saúde física e a situação financeira também se somaram aos fatores que elevaram o sentimento de estresse.

Na análise de confiança dos trabalhadores por regiões metropolitanas, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba apresentaram uma confiança maior neste último trimestre do ano em relação ao anterior.

O levantamento considera a busca por emprego, renda e carreira para medir o sentimento dos trabalhadores. A pesquisa foi realizada entre os dias 5 de outubro de 2020 a 1 de janeiro de 2021, com base quantitativa única distribuída aos usuários da rede por e-mail a cada duas semanas. Cerca de 5,1 mil usuários do Brasil responderam às questões. Os usuários são amostrados aleatoriamente e devem ser incluídos na pesquisa para participar. Estudantes, parceiros que ficam em casa e aposentados são excluídos da análise para obter uma representação precisa daqueles atualmente ativos na força de trabalho.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Em pior momento da pandemia, indicamos dez pontos a serem seguidos pelas empresas nestes tempos

O impacto da pandemia na economia brasileira foi conhecido nesta quarta-feira: queda de 4,1% do PIB de 2020. Analistas lembram, contudo, que o resultado...

Com Biden, Estados Unidos abrem caminho para “Imposto Google” global

A reunião virtual dos ministros da Economia do G20 confirmou o que muitos esperavam: com a mudança no governo americano, agora está mais perto...

Piores notícias sobre o Brasil na imprensa internacional estão na cobertura política: 65% das reportagens são negativas, aponta estudo

O ano de 2020 será sempre lembrado como período de pandemia, mortes e milhões de contaminados, aguda recessão econômica, aumento do desemprego e um...

Banco Mundial: 25% das empresas tiveram queda de 50% no faturamento com a pandemia

Afinal, qual o impacto da pandemia para as empresas? Para tentar responder a esta questão, o Banco Mundial tem feito uma série de pesquisas....

Pagamento de produtos e serviços por Pix já é feito por 51% dos usuários, indica pesquisa

Criado para fazer transferências de valores em segundos e a qualquer momento, mesmo fora do horário comercial, o PIX está cada vez mais se...