Carros elétricos devolvem Toyota ao topo mundial e fazem da Tesla a marca mais valiosa

Leia também

Com Biden, Estados Unidos abrem caminho para “Imposto Google” global

A reunião virtual dos ministros da Economia do G20 confirmou o que muitos esperavam: com a mudança no governo americano, agora está mais perto...

A pandemia afetou fortemente o setor automobilístico global, mas algumas empresas conseguiram sofrer menos que as demais ou até crescer, devido à tecnologia e à sustentabilidade. Carros elétricos e híbridos devolveram a coroa do setor à Toyota, que voltou a ser a maior fabricante mundial de carros, e garantiram à Tesla a marca mais valorizada do setor.

Em 2020 o Grupo Toyota, que reúne também marcas como Lexus, vendeu 9,528 milhões de carros, uma queda de 11,3% na comparação com o ano anterior. Porém superou os 9,305 milhões de automóveis da Volkswagen e suas 12 marcas associadas, como Audi e Porshe em 2020, o que significou uma queda de 15,2% nas vendas anuais.

O destaque da Toyota está na tecnologia: A empresa japonesa informou que a proporção de veículos elétricos vendidos no ano passado cresceu para 23% das vendas totais, ante fatia de 20% em 2019. O foco da empresa em veículos híbridos valeu a pena enquanto se prepara para lançar carros movidos a bateria nos próximos dois anos. A montadora ficou bem posicionada como a marca que menos polui na Europa mesmo sem ter ainda nenhum veículo 100% elétrico no continente, e pode aguardar que a tecnologia e a infraestrutura estejam melhor desenvolvidas.

A Toyota fez parceria com o fornecedor da Tesla, a Panasonic, para desenvolver baterias de estado sólido, que devem aumentar a autonomia e reduzir os tempos de carregamento dos carros elétricos. A montadora deve revelar a tecnologia nas Olimpíadas de Tóquio, de acordo com pessoas informadas sobre seus planos.

A parceria com o fornecedor da Tesla não é em vão. A empresa de Elon Musk conseguiu se tornar a montadora mais valiosa do mundo em 2020, apenas vendendo carros elétricos. Isso ajudou o bilionário a se confirmar no posto de homem mais rico do mundo, com fortuna de US$ 210 bilhões. 

Em 2020, a Tesla vendeu globalmente 499.550 unidades, apenas 450 abaixo da meta estabelecida. Considerando que a estimativa de meio milhão de carros foi feita no início do ano e que não foi revista para baixo nem mesmo com a pandemia, é obviamente um caso de sucesso. No ano de 2020, o lucro foi de US$ 721 milhões, contra um prejuízo de US$ 862 milhões registrado em 2019. Foi o primeiro lucro anual da história da companhia.

Tais números indicam que inovação e tecnologia são a chave do negócio que revolucionou o mundo e marco a industrialização global. Uma lição e tanto para o país que viu, em 2021, o fechamento das fábricas da Ford.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Em pior momento da pandemia, indicamos dez pontos a serem seguidos pelas empresas nestes tempos

O impacto da pandemia na economia brasileira foi conhecido nesta quarta-feira: queda de 4,1% do PIB de 2020. Analistas lembram, contudo, que o resultado...

Com Biden, Estados Unidos abrem caminho para “Imposto Google” global

A reunião virtual dos ministros da Economia do G20 confirmou o que muitos esperavam: com a mudança no governo americano, agora está mais perto...

Piores notícias sobre o Brasil na imprensa internacional estão na cobertura política: 65% das reportagens são negativas, aponta estudo

O ano de 2020 será sempre lembrado como período de pandemia, mortes e milhões de contaminados, aguda recessão econômica, aumento do desemprego e um...

Banco Mundial: 25% das empresas tiveram queda de 50% no faturamento com a pandemia

Afinal, qual o impacto da pandemia para as empresas? Para tentar responder a esta questão, o Banco Mundial tem feito uma série de pesquisas....

Pagamento de produtos e serviços por Pix já é feito por 51% dos usuários, indica pesquisa

Criado para fazer transferências de valores em segundos e a qualquer momento, mesmo fora do horário comercial, o PIX está cada vez mais se...