Estudo do WWF mostra que buscas on-line por produtos sustentáveis ​​cresce 71% 

Leia também

Empresas terão de reparar imagem ambiental do país desgastada pelo governo, diz especialista

Ao mesmo tempo em que o ESG (sigla em inglês para agenda ambiental, social e de governança) ganha espaço no país, principalmente no ambiente...

Uma pesquisa realizada pela Economist Intelligence Unit (EIU), a pedido do WWF, mostra um aumento de 71% nas buscas na internet por produtos sustentáveis entre 2016 e 2020. O dado é parte do mais amplo e atual retrato do ativismo digital em escala global, que analisou informações de 54 países, onde vive 80% da população mundial. O relatório revela um aumento nos cliques dos consumidores atrás de produtos sustentáveis ​​em países de alta renda, como Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, Austrália e Canadá. Porém a tendência vai além dessas economias: houve também expansão em nações em desenvolvimento e emergentes como, por exemplo, Indonésia (24%) e Equador (120%). Ou seja: a busca por esses ítens vem se configurando como um movimento global de consumo. 

Sob o título “Um Ecodespertar: Medindo a consciência global, engajamento e ação pela natureza”, o estudo revela a criação de novas oportunidades de mercado para as empresas, principalmente nos setores de cosméticos, farmacêutico, moda e alimentos. 

Para o WWF-Brasil, o despertar ecológico é um ponto de atenção para as empresas, que precisam responder adequadamente aos novos desejos dos consumidores.

“É um novo capítulo de consciência pós-greenwashing. Já não é aceitável produzir sem assumir a responsabilidade de, além de reduzir impactos negativos, regenerar o meio ambiente como valor adicional ao modelo de negócio – uma abordagem natureza-positiva”, explica Gabriela Yamaguchi, diretora de sociedade engajada do WWF-Brasil. 

Ela disse ainda que no Brasil as pessoas percebem a perda da natureza de forma mais próxima, pois são diretamente afetadas pelo desmatamento, incêndios, enchentes e secas. Essa consciência e essa preocupação, segundo Gabriela, estão se refletindo nas buscas digitais, que acabam refletindo a adoção de novos hábitos de consumo.

Sobre o Brasil, a pesquisa aponta que é o país que produziu o maior número de assinaturas em campanhas em prol da biodiversidade e natureza no mundo – 14% do total, ou 23 milhões de assinaturas online. Os tuítes relacionados aumentaram 82% no período e o volume de notícias aumentou 60%. Notícias específicas sobre protestos contra a destruição da natureza atingiram o pico em 2019. Esses números revelam que as pessoas estão mudando materialmente seu comportamento em apoio à causa ambiental. Essa mudança afeta retornos historicamente altos em algumas áreas, enquanto abre oportunidades de milhões de dólares em outras. 

De acordo com o estudo, o valor da natureza por meio dos serviços que fornece à economia global é estimado em US$ 44 trilhões – mais da metade do PIB global -, e o setor financeiro tem um papel crítico a desempenhar na mudança dos fluxos financeiros de atividades insustentáveis ​​e na criação de uma economia global “natureza-positiva”. As empresas e instituições financeiras estão cada vez mais reconhecendo os riscos associados à perda de natureza e a colocando no centro de suas estratégias.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes

Executivos brasileiros se mostram preocupados com times de líderes, diz pesquisa

Um estudo realizado pela Robert Half, consultoria global de recrutamento especializado, em parceria com a Fundação Dom Cabral, mostrou que 54% dos executivos brasileiros...

Empresas terão de reparar imagem ambiental do país desgastada pelo governo, diz especialista

Ao mesmo tempo em que o ESG (sigla em inglês para agenda ambiental, social e de governança) ganha espaço no país, principalmente no ambiente...

De olho na China, Estados Unidos vota nova política industrial

O enfrentamento econômico entre os Estados Unidos e a China está levando a uma retomada da política industrial americana. Para voltar a produzir, prioritariamente,...

Pesquisa da Câmara Americana de Comércio mostra engajamento ESG nas empresas do Brasil

Um levantamento inédito realizado pela Câmara Americana de Comércio (Amcham- Brasil) com 178 líderes de empresas e startups brasileiras, mostrou que 95% das companhias...

Maioria dos empresários brasileiros acredita em retomada de seus setores em até um ano depois da vacinação

Notícias econômicas positivas, turbinadas com fotos de países que parecem estar deixando a crise para trás com o avanço da vacinação, ampliam o otimismo....