Ações para redução de emissões de carbono ganham produtos financeiros

Leia também

De olho em ampliar suas ações em sustentabilidade e mostrar comprometimento para reverter as mudanças climáticas, o Santander deu início na Espanha a uma política de incentivo para o financiamento de reformas elétricas em imóveis no país. Para isso, o banco lançou o Crédito Reforma Verde para Pessoas Físicas e Empresariais, que oferece condições exclusivas para financiar reformas ecológicas no lar que visem poupar energia e dar eficiência energética. 

Essa é uma aposta do Santander na transição para um economia de baixo carbono e de promoção à eficiência energética e que possivelmente deve ser expandida para outros países com a presença da instituição. O objetivo é fazer com que a transformação verde chegue à ponta do negócio.

De acordo com as informações divulgadas pelo Santander, este empréstimo tem uma taxa de juro fixa destinada a financiar a renovação energética de edifícios existentes construídos antes de 2007 e pode ser solicitada por pessoas físicas, pessoas jurídicas e comunidades de proprietários, de forma a reduzir as emissões de dióxido de carbono e o consumo de energia. 

Em fevereiro, o grupo anunciou sua meta de atingir zero emissões líquidas em todo o grupo até 2050 para apoiar as metas do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas. Para isso, o Santander se concentra em alinhar a carteira para cumprir esses objetivos, apoiar a transição de seus clientes para uma economia verde e reduzir a pegada ambiental do banco.

Este objetivo é tanto para a própria atividade do grupo, como para todas as emissões dos seus clientes, decorrentes de algum dos serviços de financiamento, assessoria ou investimento oferecidos pelo Santander. Na Espanha, o Santander criou, junto com a Aenor, a primeira marca sustentável voltada para as PMEs do país, com o objetivo de oferecer um valor diferencial aos seus stakeholders. Entre 2019 e o primeiro semestre de 2021, já disponibilizou 42 bilhões de Euros em créditos verdes. O banco lembra que é líder mundial no financiamento de energias renováveis, segundo dados da Dealogic.

Aqui no Brasil, alguns bancos já trabalham com ações de ESG e redução de emissão de gases do efeito estufa. O Banco Votorantim, por exemplo,um dos líderes em financiamento de veículos no país,  passou a compensar as emissões de CO2 dos automóveis de sua carteira de crédito desde janeiro deste ano. A compensação é  automática em todos os novos contratos de carros, motos, ônibus e caminhões. A estimativa é de que  100% dos veículos financiados pelo banco terão suas emissões compensadas a partir de 2024, atingindo um volume de 4 milhões de toneladas de CO2 por ano.

Outra iniciativa para dar suporte aos bancos para melhorar as ações em prol do meio ambiente, foi o estudo sobre a Matriz de Risco Ambiental apresentada pelo Instituto Escolhas.  Segundo a entidade, esse índice é um caminho para os bancos incorporarem o meio ambiente em seus financiamentos. São critérios que podem tornar as questões ambientais mais objetivas nas análises de crédito.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes