Negócios inovadores e sustentáveis são alvo do programa Inova Amazônia

Leia também

Com o objetivo de apoiar empreendedores e pesquisadores na criação ou desenvolvimento de pequenos negócios que atuem de forma sustentável e inovadora, a partir de insumos da biodiversidade da região Amazônica, o programa Inova Amazônia, uma iniciativa do Sebrae, está em busca de novos parceiros. Será oferecido aos selecionados um curso de capacitação empresarial, com treinamentos e mentorias, além de uma bolsa de R$ 36 mil.

Empresários, potenciais empreendedores ou ainda pesquisadores de qualquer parte do país que tenham uma ideia de negócio inovadora na temática da bioeconomia, podem se inscrever no programa até o dia 5 de setembro.
Nesta edição, o Sebrae está recebendo propostas de qualquer setor econômico de bieconomia, como: alimentos e bebidas, fitoterápicos e nutracêuticos, construção, higiene, perfumaria e cosméticos, bioenergia, farmacêutico, farmoquímicos, novos materiais e ainda setores relacionados com logística e tecnologia da informação aplicada à bieeconomia.

Valéria , analista de Inovação do Sebrae, explica detalha quais são os critérios para que os interessados possam se inscrever.

“Qualquer pequeno negócio — formalizado ou não –, qualquer startup — formalizada ou não –, ou qualquer pesquisador ou empreendedor que tenha uma ideia inerente ao programa. Ou seja, que use insumos da Amazônia de forma sustentável para gerar um produto ou serviço de alto valor agregado. Lembrando que se for formalizado, ele precisa ter faturamento bruto de até R$ 4,8 milhões por ano”, explicou.

Valéria disse que os selecionados vão passar por um processo de pré-aceleração on-line (2 meses) para montagem do projeto do seu empreendimento. Na sequência, já na fase de aceleração, os participantes passaram por um processo de capacitação presencial ao longo de seis meses. Para que os selecionados possam se dedicar ao programa, o Sebrae vai oferecer uma bolsa de R$ 36 mil.

O curso se encerra com uma etapa de mentoria e apresentação do mercado internacional, mostrando aos participantes o potencial de exportação para os produtos ou serviços.

A expectativa é de, nas próximas edições, levar esse modelo de programa para outros biomas, como: Cerrado, Mata-Atlântica, Pantanal, entre outros.

Mais informações pelo site

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes