Comércio exterior é alternativa para empresas brasileiras

Leia também

Impulsionado pelo atual momento da economia brasileira, o comércio exterior não para de bater recordes. De acordo com dados de setembro divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, as exportações subiram 36,9%, já as importações tiveram alta parecida, de 36,4%. E se engana quem pensa que a movimentação foi feita apenas por grandes companhias. Números do Sebrae apontam que 40% de pequenas e médias empresas realizam exportações.

Para Fábio Pizzamiglio, diretor da Efficienza, empresa de assessoria para negócios internacionais, a importação ou exportação pode mudar a realidade de uma pequena ou média empresa. “É inegável que, a partir da decisão por importar ou exportar, os empresários podem ver os seus negócios avançarem significativamente. Um exemplo claro disso é na importação de máquinas, com o objetivo de baratear o custo dos produtos. Nesses casos, a empresa passa a ter um aumento em sua produção”, declara Pizzamiglio.

Entretanto, o executivo ressaltou a importância de um bom planejamento no momento da decisão pela exportação de produtos. Para Fábio, é necessário analisar o momento certo, além da periodicidade, no caso de exportações. Segundo ele, todas essas questões precisam estar em um plano de ações.

Um exemplo do impacto do comércio exterior para o crescimento do negócio está na Fiber, empresa de tecidos técnicos. Segundo Bernardo Michelin, diretor industrial da empresa, os negócios internacionais sempre fizeram parte da organização, que viu um alto crescimento durante o período da pandemia. No início, a companhia contava com uma equipe de 38 pessoas, hoje já soma um total de 130 colaboradores.

“Todos os equipamentos da produção da Fiber são importados, são maquinários sem similares no mercado nacional. Parte da matéria prima também vem de fora. Quanto ao nosso produto final, máscaras e artigos esportivos, estamos exportando para todo o mundo, para clientes e lojas Fiber fora do Brasil. A empresa nasceu e se fortaleceu com a importação e exportação”, afirma.

Hoje a organização conta com a assessoria para negócios internacionais e, para Bernardo, além do planejamento foi ideal buscar uma parceria para a expansão do comércio exterior. O executivo completa afirmando que, para as pequenas e médias empresas poderem expandir, é fundamental buscar o apoio necessário, para focar no core business do negócio. “Nesse processo de comércio exterior, é importante contar com um parceiro que tenha expertise e seja capaz de apoiar o crescimento da empresa. Como buscamos importar tanto maquinário quanto matéria prima, se fossemos internalizar toda essa operação, seria algo inviável”, finaliza Bernardo.

- Publicidade -

Outras notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais recentes